México 9 set (EFE).- O presidente do México, Felipe Calderón, comemorou a solução sem vítimas do sequestro de um avião da Aeroméxico por um boliviano, que disse que queria advertir o líder sobre um desastre natural e que foi alertado por uma revelação divina.

"Foi um momento de prova para todos, para a sociedade e para o Governo. Felizmente as coisas terminaram bem", disse Calderón, em declarações à imprensa depois que as forças de segurança tomaram o controle da nave, no aeroporto da Cidade do México.

Calderón parabenizou as autoridades e forças de segurança que controlaram a situação.

"Após um momento muito intenso, muito tenso, me sinto muito satisfeito pela maneira pela qual se resolveu, sem que houvesse vítimas e, além disso, com uma grande responsabilidade por parte das forças encarregadas da ordem, que puderam tomar rapidamente o controle da situação", disse Calderón, citado pela cadeia "Televisa".

O presidente, de acordo com a "Televisa", disse que acompanhou o sequestro de seu escritório na residência oficial de Los Pinos, que ficou sabendo do ocorrido quando a aeronave "ainda estava em voo" e que a estratégia das autoridades era fazer o avião aterrissar.

"Felizmente, conseguimos captar a informação que os pilotos tinham o controle da cabine, para nós era um elemento-chave", disse.

Calderón parabenizou a tripulação e os passageiros do avião sequestrado, por seu comportamento.

"Os pilotos mantiveram a calma, aterrissaram o avião", disse o líder, que felicitou a tripulação, "que atuou com muita coragem, muita responsabilidade e, claro, a todos os passageiros, cuja atuação foi realmente (...) sensata, muito séria e tudo isso contribuiu para que as coisas terminassem bem".

O avião, um Boeing 737 que cobria o voo 576 da companhia Aeroméxico, com 104 pessoas a bordo, aterrissou no Aeroporto Internacional da Cidade do México na tarde de hoje, proveniente de Cancún. EFE gt/pd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.