Cadáver em hospital venezuelano não seria de dirigente das Farc

Bogotá, 18 jun (EFE).- O cadáver que permanece nas dependências do instituto de medicina legal do Hospital Central de San Cristóbal, no estado venezuelano de Táchira, não é do guerrilheiro colombiano conhecido como Ivan Márquez, do secretariado das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), disseram hoje fontes oficiais dos dois países.

EFE |

Em Bogotá, o comandante das forças militares, general Freddy Padilla de León, disse que "é infundada esta versão. Veio da imprensa da Venezuela, e nós, em todas as averiguações que fizemos, verificamos que não é verdade esta versão" da morte do alto dirigente das Farc.

Além disso, e após várias horas de exames, fontes do Hospital Central de San Cristóbal descartaram que o cadáver levado seja do chefe guerrilheiro, cujo nome verdadeiro é Luciano Marín Arango.

"É uma pessoa diferente", disse à rádio colombiana "Caracol" o delegado Daniel Hernández.

Um pouco antes das declarações de Padilla de León, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse que não sabia se um alto chefe das Farc tinha sido morto nos últimos dias, e anunciou que estava averiguando o fato.

"Vamos averiguar (...)", disse Uribe, após afirmar que desconhecia essa informação que começou a circular ontem à noite na imprensa colombiana.

Segundo emissoras, um informante das forças militares "alertou sobre a morte de outro membro do secretariado" das Farc em um combate na zona de fronteira com a Venezuela. EFE rrm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG