Cachorros-quentes podem ser perigosos para crianças, dizem pediatras dos EUA

Washington, 22 fev (EFE).- O formato dos cachorros-quentes é perigoso para crianças porque pode provocar engasgamentos e, por isso, deveria ser redesenhado, afirmou a academia americana de pediatria em um relatório publicado hoje pela revista Pediatrics.

EFE |

Segundo cientistas da academia, a forma alongada, o tamanho e a textura dos cachorros-quentes aumentam o perigo de que crianças engasguem.

De acordo com o relatório, mais de dez mil crianças dão entrada nas emergências americanas e 77 morrem anualmente nos Estados Unidos por engasgarem com cachorros-quentes.

O estudo também diz que 17% dos casos de asfixia por alimentos estão ligados aos cachorros-quentes.

"Se os melhores engenheiros do mundo quisessem criar o bloqueio perfeito da traqueia de uma criança, este teria a forma de um cachorro-quente", diz Gary Smith, diretor do centro de pesquisa de lesões do hospital pediátrico de Columbus, no estado americano de Ohio.

"Sou um pediatra de emergências, e tentar extrair os cachorros-quentes depois que entalaram é praticamente impossível", acrescentou.

Segundo Smith, a solução estaria em um novo desenho do cachorro quente porque, ao contrário dos brinquedos, este não contém uma advertência sobre o perigo que representam para crianças.

"Nenhum pai pode vigiar seus filhos o tempo todo. A melhor forma de protegê-los é com um novo desenho", acrescentou.

Janet Riley, presidente do conselho americano do cachorro-quente e salsichas, concorda com o alerta da academia e diz que mais da metade dos cachorros-quentes contêm conselhos para serem cortados, justamente com o objetivo de impedir que crianças se engasguem. EFE ojl/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG