Cachorro-quente marroquino fazia jus ao nome

Rabat, 22 jan (EFE).- A Polícia marroquina prendeu sete vendedores de cachorros-quentes que faziam jus ao nome, com salsichas feitas de autêntica carne de cães, que era misturada com cebola, tomate e outros ingredientes antes de sua distribuição.

EFE |

Os sete membros capturavam os cachorros no aterro sanitário de Mediuna, perto de Casablanca, e após matá-los, faziam as salsichas com sua carne, informa hoje o jornal "Al Bayane".

O grupo se dedicava a essa atividade há mais de três anos, como admitiu o chefe do grupo, que reconheceu ter repartido a mercadoria entre cozinheiros de diversas regiões dessa localidade.

Os presos serão levados na próxima terça-feira à Justiça, acrescenta o jornal.

Não é o primeiro caso deste tipo no Marrocos, onde em 2006 um vendedor de salsichas e seus dois cúmplices foram presos por essa mesma prática.

"Sendo vendidos entre três e seis dirhans (em torno de R$ 0,75 a R$ 1,50) os sanduíches não poderiam ter qualidade mais suspeita", adverte o jornal sobre os -literalmente- cachorros-quentes que recomendando às pessoas que "deixem de pedir salsichas". EFE mgr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG