Dois aviões Rafale do porta-aviões Charles-de-Gaulle da Marinha francesa caíram nesta quinta-feira no Mar Mediterrâneo, e o piloto de um dos aparelhos foi resgatado com vida e consciente, anunciou a força em um comunicado.

"Importantes meios aéreos e náuticos foram imediatamente mobilizados para recuperar os dois pilotos. Um deles já foi resgatado", destacou a Marinha.

"As operações continuam para encontrar o segundo piloto", acrescentou.

O acidente ocorreu às 13H00 de Brasília, cerca de 30 km a leste de Perpignan (sul da França), durante uma simulação de missão da qual participavam os dois aparelhos.

"Eles tinham decolado do porta-aviões e eram pilotos muito experientes", disse à AFP o capitão-de-fragata Bertrand Bonneau, do Serviço de Informação e Relações Públicas da Marinha (Sirpa Marine).

"Não se sabe se foi uma colisão", declarou.

Segundo a Marinha francesa, foram mobilizados para as operações de busca uma lancha, quatro helicópteros, um avião de observação aérea Hawkeye e um avião de patrulha marítima Atlantique 2.

Este é o primeiro acidente envolvendo a versão marinha do Rafale. A marinha francesa tem 17 aparelhos deste tipo.

O caça Rafale, fabricado pela Dassault, nunca foi exportado, mas é o grande favorito de uma licitação de 36 aparelhos aberta pelo Brasil.

O avião, fabricado pela Dassault, concorre com o F18, da americana Boeing, e com o Gripen, da sueca SAAB.

Há duas semanas, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, viajou ao Brasil para oferecer os Rafale, e seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, anunciou a disposição de Brasília de comprar 36 caças franceses.

A Força Aérea Brasileira (FAB) ampliou o prazo para a modificação das propostas das três companhias e até o momento não há uma decisão sobre a compra dos aparelhos.

ha/yw/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.