C. do Norte ameaça com guerra se seu satélite for interceptado

Seul, 9 mar (EFE).- A Coreia do Norte avisou nesta segunda-feira que haverá guerra se seu satélite de comunicações que planeja lançar for interceptado, ao mesmo tempo em que anunciou a suspensão da rede militar de comunicações com a Coreia do Sul, informou a agência sul-coreana Yonhap.

EFE |

O aviso do regime comunista coincide com o início das manobras militares conjuntas anuais entre Coreia do Sul e EUA, consideradas pelo regime comunista como um prelúdio de ataque a seu país.

"Vamos responder a qualquer ato de interceptar nosso satélite com fins pacíficos com um ataque militar mais potente", assegurou um porta-voz norte-coreano citado pela agência oficial de notícias "KCNA".

Embora Pyongyang tenha reiterado que prepara o lançamento de um satélite de comunicações, acredita-se que na realidade após isso pode se esconder o disparo de um míssil de longo alcance Taepodong-2.

Em Tóquio, o ministro de Defesa japonês, Yasukazu Hamada, sugeriu que, se a Coreia do Norte lançar um míssil balístico contra o Japão, ele pode ser interceptado mediante o escudo antimísseis.

Além disso, a Coreia do Norte decidiu cortar o único canal oficial de comunicação com seu vizinho do sul, o que será efetivo durante os 12 dias de duração das manobras anuais conjuntas entre Coreia do Sul e EUA.

A suspensão de comunicações militares afeta de forma imediata os sul-coreanos que trabalham no complexo industrial da cidade norte-coreana de Kaesong, onde empresas sul-coreanas empregam mão-de-obra do norte.

A partir de hoje esses funcionários sul-coreanos não podem atravessar a fronteira sem o sinal verde da Coreia do Norte.

A Coreia do Sul pediu para a Coreia do Norte para restabelecer de forma imediata as comunicações militares e reiterou que suas manobras conjuntas com os EUA são rotineiras e defensivas.

O porta-voz do Ministério da Unificação sul-coreano, Kim Ho-nyoun, lamentou a decisão de Pyongyang e pediu ao regime comunista que deixe de tomar medidas que aumentem as tensões.

Além disso, o Exército norte-coreano acrescentou que seus soldados estão prontos para combates perante uma "situação de gravidade" gerada com a Coreia do Sul. EFE ce/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG