O presidente George W. Bush visitou, nesta quinta-feira, as zonas da Califórnia atingidas pelo período de incêndio mais extenso em décadas, nesse estado do oeste dos EUA.

Com essa breve passagem pelo estado, Bush espera mostrar sua mobilização frente às catástrofes naturais, depois da incapacidade de seu governo de responder ao furacão Katrina e suas conseqüências, há três anos.

Logo após sua chegada a Redding, Bush, que estava de mangas arregaçadas, e o governador Arnold Schwarzenegger se reuniram com as equipes envolvidas no combate das chamas para acompanhar a situação.

Bush deve sobrevoar, com Schwarzenegger e alguns oficiais locais, uma floresta nacional atingida pelos incêndios.

Mais de 2.000 focos, deflagrados em 20 de junho por uma tempestade elétrica, devastaram cerca de 3.500 km2, sobretudo, no norte e no sul, segundo o subsecretário estadual de Agricultura, Mark Rey, que supervisiona os serviços florestais.

Os incêndios, que foram favorecidos por uma vegetação ressecada e pelo vento, parecem ter causado, diretamente, a morte de, pelo menos, uma pessoa.

O subsecretário também lembrou da morte de um bombeiro em serviço, mas é difícil saber se sua parada cardíaca estava ligada aos incêndios de forma direta. Pelo menos 100 casas foram destruídas.

De acordo com a assessoria do governador, trata-se, por sua extensão, da pior onda de incêndios na Califórnia desde 1936, quando o Estado começou a fazer estatísticas sobre isso.

lal/tt/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.