chegou hoje a Bucareste disposto a lutar na cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a favor da candidatura de Ucrânia e Geórgia, à qual se opõem pesos pesados como França e Alemanha." / chegou hoje a Bucareste disposto a lutar na cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a favor da candidatura de Ucrânia e Geórgia, à qual se opõem pesos pesados como França e Alemanha." /

Bush se diz disposto a lutar pela adesão de Ucrânia e Geórgia à Otan

BUCARESTE - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/04/01/bush_chega_a_bucareste_para_participar_da_cupula_da_otan_1251873.htmlchegou hoje a Bucareste disposto a lutar na cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a favor da candidatura de Ucrânia e Geórgia, à qual se opõem pesos pesados como França e Alemanha.

EFE |

Segundo antecipou a Casa Branca, Bush aproveitará amanhã um discurso no Banco Nacional de Economias romeno para lançar um novo apelo aos aliados para que ofereçam um "plano de ação" que abra caminho para a eventual entrada das duas repúblicas ex-soviéticas.

Em seu discurso, o governante americano afirmará que essa iniciativa "enviaria um sinal a seus cidadãos de que se continuarem pelo caminho das reformas, serão acolhidos nas instituições da Europa", indicam trechos divulgados pela Casa Branca.

Divergências da cúpula

A menos de 24 horas para começar oficialmente a cúpula, os 26 países-membros negociam para tentar reduzir as divergências.

Bush, no entanto, deixou claro que não está disposto a chegar a um acordo que represente concessões prejudiciais para Tbilisi ou Kiev.

Em particular, descartou renunciar à candidatura dos dois países em troca de que a Rússia aceite o sistema de Defesa Nacional contra Mísseis que os EUA querem instalar no Leste Europeu, considerado por Moscou "uma ameaça". Esse escudo fará parte das conversas na cúpula.

A Rússia se opõe ao plano de ação com a mesma determinação com que o presidente americano o defende e advertiu de que a possível adesão da Ucrânia à aliança provocaria uma "grave crise" entre Kiev e Moscou.

Os próprios aliados parecem divididos. Canadá e Reino Unido apóiam Washington, mas outros países europeus se declararam contra, com medo de irritar a Rússia.

À oposição da Alemanha se uniu hoje o primeiro-ministro francês, François Fillon. "Pensamos que não é a boa resposta ao equilíbrio das relações de poder na Europa e entre Europa e Rússia", afirmou.

A própria Casa Branca se mostra reticente quanto ao resultado.

"Temos que esperar e ver o que vai acontecer. Alguns podem querer declarar um fracasso mesmo antes de começar... mas continuaremos trabalhando com nossos aliados e veremos", afirmou a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, no Air Force One, que levou Bush a Bucareste.

Visita à Romênia

Antes de começar sua participação na cúpula, Bush deve ir ao complexo de Neptun, às margens do Mar Negro, para se reunir com o presidente romeno, Traian Basescu.

Além disso, fará uma reunião bilateral com o secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer, antes de a cúpula começar oficialmente com um jantar.

Em seu discurso, Bush afirmará que o Irã se encontra próximo de fabricar mísseis balísticos de longo alcance e "atualmente não temos forma de defender a Europa contra essa ameaça, portanto temos que desdobrar defesas antimísseis que possam".

Bush deve se reunir com Putin no próximo fim de semana em Sochi (Rússia) para discutir o escudo antimísseis.

Leia mais sobre: Bush - Otan

    Leia tudo sobre: bushotan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG