Bush se despede do Exército americano

Washington, 10 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, se despediu hoje das tropas americanas em seu penúltimo discurso de rádio como comandante-em-chefe das Forças Armadas.

"Durante os últimos oito anos não tive maior honra que ser seu comandante-em-chefe", declarou o presidente dos EUA, que se dirigiu em seu tradicional discurso dos sábados aos membros das Forças Armadas americanas.

Bush deixará de ser o comandante-em-chefe no dia 20 de janeiro, quando o presidente eleito americano, Barack Obama, tomar posse.

O líder americano fez referência ao trabalho dos militares nas ações de segurança na cidade de Nova York após os ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001 e homenageou aqueles que morreram no atentado que foi realizado no mesmo dia contra o Pentágono.

Também avaliou o papel das tropas posicionadas no Afeganistão em sua luta contra o terrorismo e o regime talibã, e "o valor" daqueles que participaram da invasão do Iraque em 2003 para "destruir um regime que ameaçava os EUA".

Segundo Bush, o Exército americano "libertou" mais de 50 milhões de pessoas no mundo todo e conseguiram fazer com que os EUA sejam "um país mais seguro".

"Eles lutaram contra os terroristas fora para não ter que enfrentá-los em casa", disse Bush, que assegurou que graças às ações no exterior conseguiram fazer com que "não tenha havido nenhum outro ataque em solo americano".

Para o comandante-em-chefe isto "não foi uma coincidência", e destacou os esforços de seu Governo no reforço das leis de segurança para prevenir futuros ataques terroristas.

Além disso, avaliou o papel dos serviços de inteligência "que permitiram desvendar planos terroristas" e o trabalho dos agentes de segurança nacional em portos e fronteiras. EFE elv/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG