O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, saudou nesta quinta-feira o convite formulado a Albânia e Croácia para se unirem à Otan, e lamentou que o mesmo não tenha acontecido com a Macedônia.


Bush também afirmou que o processo de ampliação da Otan prossegue, sem mencionar no entanto Geórgia e Ucrânia, países aos quais a Aliança Atlântica negou no momento o status de candidatos oficiais à adesão.

"Fico satisfeito de que a Aliança tenha concordado em convidar Albânia e Croácia para se tornarem membros da Otan", disse Bush.

"Lamento que não tenhamos sido capazes de alcançar um consenso hoje para convidar a Macedônia", acrescentou.

Afeganistão

Bush conseguiu uma pequena vitória das mãos do presidente francês Nicolas Sarkozy, que se comprometeu a enviar um novo contingente de soldados ao leste do Afeganistão, atendendo ao pedido dos americanos.

Sarkozy confirmou nesta quita-feira que o reforço francês será de 700 militares.

No entanto, a maior prova para o poder dos Estados Unidos será nesta quinta-feira, na sessão especial dedicada à missão da Otan no Afeganistão.

Bush espera conseguir um total de mais 10 mil soldados para sua luta contra o terrorismo no feudo da Al Qaeda. Mas a maioria dos aliados está reticente em colaborar, por medo de enfrentar uma oposição cada vez maior por parte de seus cidadãos às missões militares da Otan.

Na quarta-feira, o secretário-geral da Aliança, Jaap de Hoop Scheffer, defendeu o reforço para a missão no Afeganistão e chegou a dizer que "o importante é que os líderes políticos mostrem que lideram politicamente quando têm uma opinião pública muito crítica".

Leia mais sobre: Otan

Com AFP e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.