Bush reconhece que se mostrou otimista sobre guerra enquanto temia o fracasso

Washington, 11 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, admitiu hoje que durante os momentos mais duros da guerra, em 2006, temeu o fracasso, mas se mostrou publicamente otimista para manter a moral alta.

Em entrevista concedida a "ABC News", Bush, que se encontra em seu rancho de Crawford (Texas) para passar o fim de semana, admitiu que em meados de 2006, quando a violência aumentava, "estava preocupado".

"Preocupo-me cada vez que parece que vamos fracassar no Iraque", admitiu.

"Pensei que estávamos fracassando, sim, pensei", reconheceu o chefe da Casa Branca, que poucos meses mais tarde, em janeiro de 2007, ordenou um aumento de 30 mil soldados no número de militares americanos desdobrados no país árabe.

Apesar de sua preocupação, suas declarações públicas de então afirmavam que os EUA se impunham na guerra, algo que Bush justificou como necessário para manter a moral alta.

"O comandante-em-chefe não pode dizer a um grupo de rapazes que estão sacrificando suas vidas: 'Não vale a pena' ou 'Vocês estão perdendo'. Quero dizer, que efeito teria isso sobre a moral?", argumentou Bush.

"Eu sou o comandante-em-chefe das tropas tanto como alguém que fala em nome do país", lembrou, antes de assinalar que em suas declarações de então tentou ser equilibrado, ao expressar otimismo e, ao mesmo tempo, reconhecer que "os combates são muito duros".

Em meados de 2006, Bush afirmava que os EUA manteriam o rumo e que estavam ganhando.

Em dezembro essa avaliação mudou e ele declarava: "A situação no Iraque é inaceitável para os americanos e é inaceitável para mim".

EFE mv/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG