Bush promulga lei que ajudará compradores de imóveis

Washington, 30 jul (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, promulgou hoje uma lei que ajudará cerca de 400 mil compradores de imóveis que podem ser despejados e que auxiliará as duas maiores firmas hipotecárias do país, Fannie Mae e Freddie Mac.

"Agora vamos nos dedicar a estabelecer novas autoridades reguladoras que melhorem a confiança e a estabilidade nos mercados e que dêem uma melhor supervisão para Fannie Mae e Freddie Mac", disse o porta-voz da Presidência Tony Fratto.

A lei procura conter as execuções hipotecárias e deter a queda livre dos preços do imóvel mediante seguros federais para as hipotecas refinanciadas com 30 anos de prazo feitas por compradores que atualmente têm dificuldades para fazer os pagamentos mensais.

A medida também pretende restaurar a confiança em Fannie Mae e Freddie Mac, duas empresas hipotecárias criadas pelo Governo federal durante a grande depressão americana, há sete décadas, e que agora são autônomas. As duas firmas têm em suas mãos quase a metade do endividamento hipotecário nacional de US$ 12 trilhões.

A lei aumenta as regulações governamentais e autoriza o Departamento do Tesouro a injetar capital nas duas empresas.

A recessão do setor imobiliário, que é a pior desde a década de 1930, junto com os preços mais altos dos combustíveis e a deterioração do mercado de trabalho, afeta os consumidores e contribui com a desaceleração do crescimento econômico.

Esta semana, o Escritório de Administração e Orçamento da Casa Branca reduziu sua previsão de crescimento econômico deste ano de 2,7%, calculado em fevereiro, para 1,6% .

A agência indicou que espera que a economia cresça 2% no próximo ano, comparado com seu prognóstico anterior de crescimento de 3%.

A nova lei sobre imóveis recebeu respaldo depois que o secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, solicitou e recebeu uma autorização temporária até 31 de dezembro de 2009 para que o Governo empreste dinheiro e compre ações de Fannie Mae e Freddie Mac.

Paulson persuadiu Bush a abandonar sua ameaça de veto à lei por uma estipulação que atribui quase US$ 4 bilhões em doações aos estados para que comprem e reparem as propriedades executadas.

O presidente Bush disse que considerava isso como um salvamento às pessoas que fazem empréstimos e os democratas, que têm maioria em ambas as câmaras do Congresso, argumentaram que essa ajuda estabilizará os mais afetados pelos despejos. EFE jab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG