Zagreb, 4 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

Bush, prometeu aumentar consideravelmente em 2009 as tropas de seu país no Afeganistão, independente de que continuem os cortes de efetivos no Iraque, afirmou hoje o secretário de Defesa americano, Robert Gates.

Segundo Gates, que falou a caminho a Omã em declarações divulgadas à imprensa que acompanha Bush em Zagreb, o presidente dos Estados Unidos anunciou este compromisso durante a cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), encerrada hoje em Bucareste, mas não deu um número preciso de soldados.

Os Estados Unidos contam com 31.000 soldados no Afeganistão. A Otan mantém uma força de 47.000 efetivos, que os países da Aliança concordam em que são poucos para fazer frente aos desafios no país, especialmente no sul, onde cresce a ameaça do movimento talibã.

Durante a cúpula, Bush pressionou os aliados para que comprometam mais reforços, e conseguiu garantias de cerca de dez países, entre eles a França, que enviará cerca de 700 militares adicionais.

Segundo Gates, ainda é cedo para dar um número preciso dos soldados que serão enviados no próximo ano, e que terá que ser uma decisão do próximo presidente dos Estados Unidos.

O secretário de Defesa afirmou que os candidatos presidenciais - os democratas Hillary Clinton e Barack Obama, e o republicano John McCain -, se forem os escolhidos, "vão querer ter êxito no Afeganistão", e por isso se mostrarão de acordo em enviar tropas.

Acrescentou que o envio acontecerá independente de que continuem os cortes de tropas previstos no Iraque, que, segundo ele, em julho, os soldados americanos diminuirão de 158.000 para 138.000. EFE mv/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.