pleno apoio em investigação dos atentados - Mundo - iG" /

Bush promete à Índia pleno apoio em investigação dos atentados

Washington - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, prometeu neste sábado à Índia pleno apoio durante a investigação dos atentados terroristas cometidos em Mumbai, nos quais 195 pessoas morreram, entre elas ao menos cinco americanos.

Redação com agências internacionais |

AP
Indianos cumprimentam militares

"Prometemos o apoio total dos Estados Unidos num momento em que a Índia investiga os ataques, leva os culpados à justiça e dá continuidade a seu sistema de vida democrático", disse Bush na Casa Branca, ao retornar do feriado prolongado com o Dia de Ação de Graças.

Neste sábado, comandos militares indianos mataram os últimos atiradores islâmicos que estavam refugiados no hotel Taj Mahal de Mumbai, terminando o cerco de três dias, que já vem sendo descrito como o 11 de setembro da Índia. Pelo menos 295 pessoas ficaram feridas.

Pelo menos três militantes e um soldado foram mortos depois de uma derradeira troca de tiros por um labirinto de corredores, quartos e salas, segundo disse o chefe do comando militar, Jyoti Krishna Dutt, à multidão de repórteres que esperava do lado de fora do prédio de 105 anos, com marcas de destruição provocadas pela batalha.

Os atiradores islâmicos colocaram fogo em algumas áreas do hotel e entraram em um jogo de gato e rato com os componentes dos bem treinados comandos da Índia, conhecidos como Gatos Negros. Eles deixaram corpos pelo caminho, alguns com granadas dentro de suas bocas ou alojadas nas partes inferiores.

Cães farejadores foram levados para o famoso hotel e trabalhadores usando máscaras cirúrgicas chegaram para retirar os corpos. Alguns comandos fizeram uma última busca nos quartos, enquanto outros entravam em ônibus para ir embora, parecendo exaustos.

Muitos hóspedes ficaram presos em seus quartos enquanto a batalha se desenrolava ao redor deles. Eles saíam, depois, impressionados com as cenas desesperadoras.

"Havia sangue por toda parte", disse uma mulher americana chamada Patricia ao canal de notícias NDTV, se engasgando entre lágrimas. "E quando nós conseguimos chegar ao lobby, todas as centenas e centenas de policiais que estavam ali pareciam tão exaustos e tão tristes".

Getty Images
Quarto totalmente destruído no hotel Taj Mahal
Quarto totalmente destruído no hotel Taj Mahal

Rastros negros de cinza das chamas manchavam os tijolos, varandas brancas e os telhados vermelhos da fachada do hotel. O piso térreo estava devastado, com as paredes revestidas de madeira enegrecidas e rachadas pelas explosões e pelo fogo.

Taças de vinho e tigelas de sopa ficaram espalhadas pelo piso, um candelabro chamuscado jazia quebrado em pedaços pelo carpete e os cacos de vidro cobriam as butiques do Taj.

"Em um determinado momento, era tão magnífico. Nós ficávamos admirando, sentados perto da piscina", disse Patrícia. "Em um dado momento, tudo era sereno e sensacional, e então, logo depois, tudo se acabou", afirmou.

Nove dos envolvidos no ataque foram mortos, e o décimo foi capturado vivo. Ele disse durante o interrogatório que eles queriam entrar para a história como o 11 de setembro da Índia, e também que foram inspirados pela explosão que ocorreu em setembro no hotel Marriot de Islamabad, segundo informações divulgadas pelo canal de TV Times Now, citando um oficial do Ministério da Defesa que não foi identificado.

A Índia responsabiliza "elementos" do Paquistão pelo ataque, o que aumenta as tensões entre os dois rivais com poderio nuclear. O Paquistão disse que os dois países enfrentam um inimigo comum e que enviará um representante de sua agência secreta para dividir informações de inteligência.

(*Com informações da EFE e da AFP)

Leia mais sobre Mumbai

Leia também

    Leia tudo sobre: mumbai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG