Washington, 30 ago (EFE) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, prometeu hoje aos governadores de Louisiana, Mississipi, Alabama e Texas apoio total do Governo federal perante a ameaça do furacão Gustav, que poderá atingir o país na próxima terça-feira.

Segundo o porta-voz da Casa Branca, Scott Stanzel, o presidente advertiu esta manhã às autoridades destes quatro estados de que estão na trajetória de "Gustav".

Esse furacão acabou de entrar na categoria 4 na escala de intensidade Saffir-Simpson e está a ponto de alcançar a intensidade 5, a máxima (com ventos de mais de 250 km/h).

O presidente americano, confrontado com a possibilidade de um segundo furacão monstruoso depois do "Katrina", recebeu ao longo do dia informações detalhadas sobre a evolução de "Gustav" e os preparativos de emergência dos estados no Golfo do México.

Bush pediu que cada um dos governadores o informasse sobre a ajuda que podem receber do Governo, e elogiou a rapidez e eficácia com a qual reagiram e prepararam seus estados para uma possível emergência.

"Disse a eles que os funcionários federais estão observando bem de perto o furacão 'Gustav'", explicou Stanzel, que acrescentou que o presidente "prometeu o apoio total do Governo".

Bush declarou na sexta-feira o estado de emergência na Louisiana e no Texas, uma ação que poucas vezes ocorreu antes de um desastre.

Hoje, fez o mesmo com o Mississipi, o que libera ajuda federal para apoiar os esforços locais e estaduais perante uma possível situação de emergência.

A cidade de Nova Orleans (Louisiana) começou hoje a implementar o plano de evacuação dos cidadãos perante a ameaça de "Gustav".

A Casa Branca ainda precisa determinar, entre outras coisas, se tem que mudar a agenda de Bush, que pronunciará um discurso na segunda-feira na Convenção Republicana em St. Paul (Minnesota).

Uma decisão neste sentido não será tomada até o último momento, segundo a porta-voz Dana Perino.

Bush foi muito criticado há três anos por não ter reagido a tempo com o "Katrina", já que só viajou à Louisiana cinco dias depois do impacto do furacão.

Já o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, expressou hoje esperança de que a lição aprendida com o "Katrina" sirva para proteger agora a costa do Golfo do México de "Gustav", enquanto seu companheiro de chapa, Joe Biden, afirmou que a região parece agora melhor preparada para enfrentar um furacão. EFE cae/bm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.