Roma, 12 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

Bush, compara a situação no Oriente Médio com a da Europa do pós-guerra, e pediu que o continente tenha paciência e continue seu apoio à região nos próximos anos, quando tiver deixado o poder.

Em discurso que pronunciará em Paris amanhã e que teve alguns trechos divulgados pela Casa Branca, Bush, hoje em Roma, afirma que "há momentos nos quais a situação em lugares como o Oriente Médio pode parecer tão arrasadora quanto na Europa há 60 anos, mas podemos ter confiança de que a liberdade voltará a prevalecer".

"O surgimento de sociedades livres e prósperas no grande Oriente Médio é tão básico para a paz no século XXI quanto o surgimento de uma Europa livre e próspera foi para a paz no século XX", afirma Bush, em seu discurso diante da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Bush está em Roma dentro de uma viagem pela Europa que tem como objetivo oficial comemorar os 60 anos da ponte aérea a Berlim e do Plano Marshall, o programa americano que colaborou na reconstrução da Europa após a Segunda Guerra Mundial.

Em uma referência à situação européia depois dessa guerra, Bush afirmou que, "como durante a Guerra Fria, devemos nos impor em uma batalha mais ampla, a batalha das idéias".

"A Europa e a América devem apoiar os reformistas, os líderes democráticos e milhões de pessoas em todo o Oriente Médio que buscam um futuro de esperança, liberdade e paz", indica o discurso.

Segundo Bush, "devemos seguir adiante com resolução. Nos próximos anos, haverá períodos de dificuldade, mas a história nos mostra que a liberdade pode superar até as provas mais duras".

Durante sua estadia em Roma, o Bush se reuniu hoje com o presidente italiano, Giorgio Napolitano, e esta tarde fará o mesmo com o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi. EFE mv/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.