Bush pede a Pequim que garanta direitos de informação, reunião e religião

Seul, 6 ago (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, pedirá a Pequim a garantia dos direitos de informação, reunião e religião a seus cidadãos, no discurso que fará amanhã em Bangcoc e que foi divulgado hoje pela Casa Branca.

Bush partiu hoje da Coréia do Sul para Bangcoc, onde fará amanhã o principal discurso de sua viagem asiática, que terminará com a presença do presidente americano, na sexta-feira, na abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim de 2008.

O texto do discurso diz que o líder americano está "profundamente preocupado" com o estado dos direitos humanos na China e que se "opõe firmemente" às detenções de dissidentes.

Segundo Bush, um futuro bem-sucedido e pacífico no continente asiático depende de "um forte envolvimento da China e EUA", por isso o compromisso americano na Ásia "deve ser determinado e durável".

O presidente afirma em seu discurso que ser um líder econômico global contribui para "o dever de atuar com responsabilidade em assuntos que vão da energia ao desenvolvimento da África".

A parte do discurso destinada à China termina com a visão de futuro de Bush para este país.

O líder dos EUA se declara "otimista" e afirma que a mudança chegará à China em seus "próprios termos" e de acordo com "sua história e suas tradições".

O discurso falará também sobre o que aconteceu na Ásia depois da Segunda Guerra Mundial, o desenvolvimento econômico e os papéis da liberdade e da democracia na região. EFE fab/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG