Bush pede a Mianmar que aceite ajuda dos EUA para vítimas de ciclone

Washington, 6 mai (EFE) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu hoje à Junta Militar birmanesa que aceite a ajuda de seu país para auxiliar as vítimas do ciclone tropical Nargis, que deixou 22 mil mortos e 30 mil desaparecidos.

EFE |

"Deixem que vamos (a Mianmar) e ajudaremos vocês e as pessoas", ressaltou Bush à Junta Militar. Seu Governo disse hoje que destinará US$ 3 milhões a ajudar os afetados, além de US$ 250 mil anunciados anteriormente.

O chefe da Casa Branca fez seu discurso em uma breve declaração na qual também anunciou a assinatura do decreto que autoriza o Congresso americano a entregar a Medalha de Ouro à líder do movimento democrático birmanês e Nobel da Paz de 1991, Aung San Suu Kyi, que está sob prisão domiciliar desde 2003.

A homenagem, a mais alta concedida a civis, é um "apropriado tributo para uma mulher valente" que luta pela liberdade para todo o povo de Mianmar e cuja voz representa um contrapeso ao regime que atualmente dirige o país, assinalou.

Bush aproveitou a ocasião para lembrar que os Estados Unidos autorizaram uma ajuda econômica inicial para as vítimas do ciclone - US$ 250 mil através de sua embaixada em Mianmar - e para assegurar que o Governo "quer fazer muito mais".

Neste contexto, a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, anunciou pouco depois uma segunda ajuda financeira de US$ 3 milhões para as vítimas do ciclone tropical.

O valor, fornecido pela Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID, na sigla em inglês), será canalizado, da mesma forma que o primeiro montante, através da ONU e de outras entidades internacionais.

"Estamos prontos para deslocar equipes da Marinha para ajudar na busca dos que perderam a vida (no ciclone) e os desaparecidos, e para ajudar a estabilizar a situação", afirmou o presidente americano.

Para fazer estas tarefas, disse, os EUA precisam de que o regime birmanês autorize a entrada no país de uma equipe americana de resposta a desastres, a fim de que possa avaliar a situação e determinar que meios usar para ajudar as vítimas.

A Marinha americana está pronta para responder a qualquer pedido de ajuda de Mianmar e as autoridades calculam que serão necessários quatro dias para transferir seus navios mais próximos ao país atingido pelo ciclone, segundo fontes militares.

A equipe de resposta a desastres se encontra atualmente em Bangcoc, à espera de receber a autorização da Junta de Mianmar e os correspondentes vistos, explicou hoje o porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, em sua entrevista coletiva diária.

"Somos capazes de ajudar, acreditamos, e somente precisamos do sinal do Governo birmanês no sentido de que a ajuda para os cidadãos birmaneses é bem-vinda", explicou.

A ONU, que recebeu na segunda-feira a autorização do regime militar birmanês para distribuir ajuda humanitária, calcula que haverá centenas de milhares de pessoas sem lar, enquanto algumas ONG calculam que deve haver um milhão de desabrigados. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG