Bush pede à China respeito às liberdades de expressão e religiosa

Seul, 6 ago (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, pediu hoje às autoridades da China que promovam a liberdade de expressão e a tolerância religiosa, e explicou que comparecerá à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim "por respeito".

Em entrevista coletiva conjunta com o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, Bush afirmou que sua mensagem às autoridades chinesas foi sempre a mesma ao longo dos sete anos e meio em que está à frente da Casa Branca: "O povo tem de poder dizer o que pensa".

"Ninguém deve temer pessoas religiosas em uma sociedade. Os religiosos fazem de uma sociedade um lugar melhor. O povo precisa dizer o que pensa. O contrário é um erro", disse Bush, ao ser questionado sobre sua posição com relação a direitos humanos na China.

Ao mesmo tempo, o governante americano declarou que sua decisão de assistir, na próxima sexta, à cerimônia de abertura dos Jogos, tem como objetivo "mostrar respeito à população da China".

"É uma oportunidade de dizer à população chinesa que respeitamos suas tradições e sua cultura e, como já disse muitas vezes, vejo os Jogos Olímpicos como uma oportunidade de expressar minha opinião em favor da liberdade religiosa", completou.

O outro objetivo de sua presença na abertura dos Jogos de Pequim é "apoiar a equipe olímpica americana", acrescentou Bush.

"Espero que possamos ganhar o maior número possível de medalhas de ouro. E, se não for de ouro, que seja de prata ou bronze", concluiu.

Bush realiza hoje uma curta visita oficial à Coréia do Sul, antes de embarcar à tarde para a Tailândia e assistir na sexta-feira à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim. EFE fab/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG