O presidente americano, George W. Bush, pediu neste domingo aos países do Oriente Médio que acabem com a repressão das liberdades e que libertem os prisioneiros políticos.

"Os Estados Unidos estão profundamente preocupados com o destino dos prisioneiros políticos nesta região, assim como com o dos militantes democráticos que são vítimas da intimidação e repressão, o dos jornais e organizações da sociedade civil que são considerados ilegais, ou os dissidentes cuja voz é abafada", disse Bush em um discurso em Sharm el-Sheikh (Egito).

"Chegou o momento para os países de todo o Oriente Médio abandonarem estas práticas e tratarem suas populações com a dignidade eo respeito que merecem", acrescentou.

"Peço a todos os países desta região que libertem seus prisioneiros de opinião e abram o debate político. Que confiem em seus povos para decidir seu futuro", declarou.

Bush destacou progressos nos últimos anos na Turquia, Iraque e Afeganistão, assim como sinais animadores no Marrocos, Argélia, Jordânia e nos países do Golfo.

No entanto, criticou o aliado e anfitrião Egito.

Depois de citar o crescimento econômico, Bush ressaltou: "Para que este progresso econômico resulte em uma prosperidade permanente (...) a reforma econômica deve ser acompanhada pela reforma política. E continuo esperando que o Egito possa asumir a liderança da região no que diz respeito à reforma política.

Em seguida, com a aparente intenção de atenuar as declarações, elogiou o Egito como un "modelo" para a promoção profissional das mulheres.

lal/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.