Bush oferece conselhos a Obama para lidar com a Rússia

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, George W. Bush, aconselhou na quinta-feira seu sucessor, Barack Obama, a tentar manter a amizade com a Rússia, apesar das desavenças. Há um interesse comum, e haverá muitas tensões, disse Bush à entidade conservadora Instituto da Empresa Americana.

Reuters |

"O presidente tem de estar numa posição na qual possa lidar com essas tensões de modo a não enviar sinais assustadores para outros aliados."

Sem mencionar diretamente Obama, Bush, que deixa o cargo em 20 de janeiro, tem passado as últimas semanas enfatizando esforços que, segundo ele, seu sucessor deveria prosseguir.

Em 2001, no seu primeiro ano de mandato, Bush saiu de uma reunião com o então presidente russo, Vladimir Putin, dizendo que havia "sentido sua alma" e que confiava plenamente nele.

Putin, hoje primeiro-ministro e ainda o homem mais influente da Rússia, posteriormente teve inúmeros atritos com Bush e tomou medidas que fizeram autoridades dos EUA acusarem-no de autoritarismo.

Moscou e Washington tiveram desavenças, entre outros motivos, por causa da guerra do Iraque, do escudo antimísseis dos EUA no Leste Europeu e da guerra russa contra a Geórgia, em agosto.

(Reportagem de Jeremy Pelofsky)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG