WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, George W. Bush, telefonou para o presidente da Líbia, Muammar Kaddafi, a fim de manifestar sua satisfação com o cumprimento total do acordo de indenização de vítimas de atos terroristas, afirmou o governo norte-americano na segunda-feira. Essa é a primeira vez que os dois líderes conversam e representa um sinal da aproximação entre os dois países depois que a Líbia começou a desmobilizar seu programa de armas de destruição em massa, em 2003.

"Os dois dirigentes falaram sobre o fato de que esse acordo ajudará a aproximar do encerramento um doloroso capítulo da história dessas duas nações", afirmou Gordon Johndroe, porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca.

Pelo acordo, um fundo de 1,8 bilhão de dólares foi criado para indenizar as vítimas de atos de terrorismo, entre as quais os familiares dos mortos no atentado do Vôo 103 da Pan Am, em 1988, sobre Lockerbie (Escócia).

"Não obstante o fato de que nunca deixaremos de lamentar a perda de vidas resultante de atos terroristas praticados no passado, o acordo representa um passo importante rumo à retomada das relações entre a Líbia e os Estados Unidos", disse Johndroe.

(Por Tabassum Zakaria)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.