Bush garante a Abbas que Estado palestino é prioridade

Por Wafa Amr e Matt Spetalnick WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assegurou na quinta-feira ao presidente palestino, Mahmoud Abbas, que a criação de um Estado palestino continuará sendo uma prioridade nos seus últimos dez meses de mandato.

Reuters |

Bush recebeu Abbas na Casa Branca num momento de crescente ceticismo a respeito do processo de paz do Oriente Médio, retomado em novembro sob auspícios dos EUA.

Abbas manifestou confiança no compromisso de Bush com um acordo que leve à criação do Estado palestino, mas admitiu que isso não será fácil, após tantas décadas de desconfiança entre as partes envolvidas.

'Não posso dizer que o caminho da paz esteja pavimentado com flores. Está pavimentado com obstáculos', afirmou Abbas ao lado de Bush, no Salão Oval. 'Mas juntos vamos nos empenhar muito.'

O presidente palestino está enfraquecido politicamente por ter perdido o controle da Faixa de Gaza para o grupo islâmico Hamas, em junho. A visita à Casa Branca foi um prelúdio da visita de Bush a Israel, em meados de maio, para celebrar os 60 anos do Estado judeu. Bush pretende voltar a se encontrar com Abbas durante essa viagem no balneário egípcio de Sharm El Sheikh.

As negociações entre Abbas e o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, se arrastam desde a retomada do diálogo, há cinco meses, embora ambos se digam dispostos a obter um acordo ainda durante o mandato de Bush, que termina em janeiro.

Correndo contra o calendário, o governo Bush tenta fortalecer Abbas contra o Hamas, e o presidente norte-americano, que passou anos afastado do problema, disse ao palestino que continua comprometido em alcançar um acordo que leve à coexistência pacífica e à criação do Estado palestino.

'Assegurei ao presidente que um Estado palestino é uma alta prioridade para mim e para meu governo, um Estado viável, um Estado que não pareça um queijo suíço', afirmou Bush a jornalistas.

'Estou confiante de que podemos alcançar a definição de um Estado. Também estou confiante de que vai dar trabalho. Para este fim, voltarei ao Oriente Médio.'

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG