Bush envia acordo nuclear com Rússia ao Congresso

Washington, 13 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, notificou hoje o Congresso sobre um criticado acordo de cooperação nuclear com a Rússia.

O acordo, assinado por Rússia e Estados Unidos na semana passada, permite às duas potências ampliar seus intercâmbios no terreno nuclear. No entanto, ele enfrenta a oposição de alguns legisladores que criticam os vínculos de Moscou com o programa de desenvolvimento atômico do Irã.

Segundo o Governo americano, o convênio daria a Washington acesso à tecnologia russa mais avançada e ajudaria Moscou a criar uma instalação internacional de armazenamento de combustível nuclear.

A Casa Branca afirma ainda que o acordo representa um importante avanço na cooperação entre os dois países, e se concretizou em um momento de tensões entre Washington e Moscou, que incluem a expansão da Otan e as divergências em torno do Irã.

O acordo de cooperação nuclear "impulsionará os interesses da política externa e de não-proliferação", assinalou Bush em carta ao Congresso.

No entanto, muitos legisladores, tanto democratas como republicanos, afirmam que a Rússia não merece um tratamento especial devido a sua cooperação com o programa nuclear do Irã, país que, segundo Washington, tenta desenvolver uma bomba atômica.

O presidente Bush "se fez de surdo às fortes críticas no Congresso", afirmou o senador republicano Norm Coleman.

Coleman anunciou que buscará o apoio de seus colegas na Câmara Alta para aprovar um projeto que bloquearia o convênio, pelo menos até que suas "inquietações" sejam atendidas.

O acordo entrará em vigor em 90 dias legislativos, a menos que o Congresso tome medidas para bloqueá-lo.

Para escapar da possibilidade de um veto presidencial, um projeto de rejeição teria de ser aprovado por uma maioria de dois terços.

"O Governo Bush não recebeu suficiente apoio da Rússia no que se refere ao Irã para justificar que aprovemos agora este acordo", disse o congressista Howard Berman, presidente do Comitê de Assuntos Exteriores da Câmara de Representantes.

"Ao insistir no acordo, o Governo enfrenta a possibilidade de sofrer uma vergonhosa derrota que causaria um prejuízo desnecessário às relações com a Rússia", assinalou a legisladora republicana Ileana Ros-Lehtinen, cujo apoio a Bush é geralmente incondicional.

Sobre as inquietações dos legisladores em torno da cooperação nuclear da Rússia com o Irã, a Casa Branca disse que o mesmo acordo oferece uma solução a esse problema.

Segundo o Governo, a instalação internacional de armazenamento de combustível funcionaria como um banco que forneceria material a países como o Irã e desalentaria suas intenções de desenvolver seu próprio combustível atômico para produzir armas nucleares de maneira encoberta. EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG