Bush e Sarkozy demonstram convergências a respeito da política mundial

Os presidentes dos Estados Unidos, George W. Bush, e da França, Nicolas Sarkozy, manifestaram neste sábado suas convergências a respeito da política mundial, com destaque para a ameaça de sanções ao Irã por seu programa nuclear.

AFP |

No segundo dia da penúltima etapa de sua viagem de despedida pela Europa, Bush se disse "decepcionado" com a recusa do Irã à "generosa" proposta feita pelas grandes potências para suspender seu programa de enriquecimento de urânio.

"Estou decepcionado que os dirigentes tenham rejeitado esta oferta generosa. É uma indicação para os iranianos de que suas autoridades querem isolá-los ainda mais", declarou Bush durante uma entrevista coletiva em Paris ao lado de Sarkozy.

"A obtenção pelo Irã da bomba nuclear é inaceitável. Isto é claro. É uma ameaça inaceitável para a estabilidade mundial, sobretudo no que diz respeito às repetidas declarações do atual presidente do Irã", disse Sarkozy.

O presidente francês destacou ainda a disposição de seu país de cooperar com o Irã no desenvolvimento da indústria nuclear civil, mas que para isso Teerã precisa aceitar as inspeções de suas instalações.

Caso contrário, disse Sarkozy, serão aplicadas sanções.

Os dois presidentes também concordaram em pedir à Siria que se distancie de Teerã.

Sarkozy, que mais uma vez justificou a decisão de retomar contatos com Damasco, também pediu que a "Síria suspenda a solidariedade com o Irã e seus esforços para ter a arma nuclear. A partir deste momento, o processo continuará".

Washington já manifestou publicamente reservas sobre a abertura de Paris para Damasco, um regime que segundo o governo americano é um dos principais apoios do terrorismo internacional.

Neste sábado, Bush não citou publicamente o tema, mas pediu a Damasco que se distancie de Teerã e do terrorismo.

Outra demonstração de convergência diz respeito ao relacionamento entre Líbano e Síria. Os dois chefes de Estado pediram relações diplomáticas completas entre os dois países.

Como uma mostra das boas relações pessoais e da amizade restablecida entre França e Estados Unidos, George W. Bush homenageou neste sábado o colega francês Nicolas Sarkozy, chamado de "homem interessante", assim como a esposa esposa Carla Bruni-Sarkozy, "muito inteligente".

"É um homem interessante, cheio de energia. Muito sério, me diz o que o preocupa e cada vez que o vi tivemos conversas de muito bom senso", declarou Bush.

O presidente dos Estados Unidos também afirmou ao anfitrião, ao lado da esposa Laura Bush, que foi "um grande prazer" conhecer a esposa de Sarkozy, Carla Bruni, durante o jantar de sexta-feira no palácio do Eliseu.

"É uma mulher muito inteligente, muito competente e compreendo porque o senhor se casou com ela, e compreendo porque ela se casou com o senhor", insistiu Bush.

Bush viajará no domingo a Londres, última etapa de sua viagem européia de despedida, a poucos meses de deixar a Casa Branca.

pa/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG