Bush é recebido com protestos na Grã-Bretanha

Mais de dois mil manifestantes antiguerra protestaram perto da sede do governo britânico em Londres neste domingo, segundo a polícia, no primeiro dia da visita do presidente americano, George W. Bush, à Grã-Bretanha.

BBC Brasil |

Bush chegou ao aeroporto de Heathrow e seguiu de helicóptero para o castelo de Windsor para se encontrar com a rainha Elizabeth 2ª.

Neste domingo à noite, ele e sua mulher Laura jantarão com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e sua mulher Sarah. Entre os convidados estão historiadores e o magnata da mídia Rupert Murdoch.

Pouco antes do horário previsto para Bush se encontrar com Brown, manifestantes se reuniram na Parliament Square, gritando: "George Bush - terrorista."
Muitos levavam cartazes com o nome do presidente americano, pinturas de "sangue" e algemas.

A manifestação foi organizada pelo grupo antiguerra Stop War Coalition, pela organização contra o armamento nuclear Campaign for Nuclear Disarmament e pelo o grupo muçulmano British Muslim Initiative.

"Nós acreditamos que Bush é um criminoso de guerra. Tanto Blair como Bush são responsáveis por enganar e mentir sobre a invasão ilegal do Iraque", disse um porta-voz da Stop War Coalition, Andrew Burgin.

Um pequeno grupo também protestou no castelo de Windsor.

Encontro
No encontro formal que realizarão na segunda-feira, Bush e Brown deverão discutir a situação no Oriente Médio e os preços dos combustíveis e dos alimentos.

A chegada de Bush à Grã-Bretanha marca o fim de uma turnê de seis dias pela Europa.

A cada dia da visita, 1.200 policiais estarão trabalhando em uma grande operação de segurança. Bush também viaja com sua própria equipe de segurança. Grandes áreas do centro de Londres devem permanecer fechadas em horários diferentes para acomodar a visita.

Antes de sua chegada, Bush disse ao jornal britânico Observer que os Estados Unidos querem retirar seus soldados do Iraque, mas que isso deve ser "baseado no sucesso" e não em um "cronograma definitivo".

Os comentário se seguem a relatos de que a saída dos 4.500 soldados britânicos ainda presentes no Iraque poderá ser indicada até o final do ano.

Mas o Ministério da Defesa britânico disse que nenhuma decisão foi ainda tomada em relação à retirada das tropas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG