Bush e Putin vão discutir escudo antimísseis

O presidente americano, George W. Bush, chegou este sábado ao balneário russo de Sochi, no Mar Negro, para a última cúpula bilateral com o presidente da Rússia, Vladmir Putin, que entrega o cargo no mês que vem.

BBC Brasil |

Os dois líderes vão discutir no domingo os planos do governo americano de instalar um escudo de defesa antimíssil no leste da Europa, ao qual a Rússia se opõe.

De acordo com a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, apesar de o assunto estar na pauta de discussões, não há qualquer indicação de que Bush e Putin aparem as divergências sobre a matéria.

"Não há sinais de que se chegará a um acordo. O que queremos é iniciar as preparações porque ainda nem começamos a trabalhar nos aspectos técnicos do sistema (antimísseis)", disse a porta-voz.

"Ainda estamos na fase inicial das discussões".

Perino ainda acrescentou que o diálogo com a Rússia "está sendo conduzido na direção correta e que o encontro com Putin impulsionará as discussões ainda mais".

Ameaça direta
A Rússia tem criticado fortemente as intenções americanas de criar um sistema de defesa antimíssil no leste europeu, com a instalação de um interceptor de mísseis baseado na Polônia e de um sistema de radares na República Tcheca.

Para Putin, o escudo seria uma uma "ameaça direta" a seu país, que estaria na mira do sistema.

A reunião entre Bush e Putin deverá ser a última antes que o líder russo entregue o cargo ao presidente eleito Dmitry Medvedev, mas espera-se que ele continuará no governo, como primeiro-ministro.

O encontro acontece após uma cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em Bucareste, na Romênia, em que os países do bloco apoiaram os planos americanos de instalação do escudo.

A cúpula da Otan ainda atendeu aos pedidos americanos de extensão da Aliança, que a partir de agora também deve ser integrada pela Albânia e a Croácia.

Os membros do bloco, no entanto, rejeitaram a proposta dos EUA de estender o convite à Geórgia e a Ucrânia.

Com a oposição de Alemanha e França, os aliados preferiram ceder às pressões da Rússia e confirmaram, na manhã da quinta-feira, o adiamento do ingresso de Ucrânia e Geórgia a seu plano de ação, uma fase prévia ao processo de adesão.

Tirania
Antes de seguir para Sochi, Bush passou pela Croácia, onde se reuniu com o presidente Stjepan Mesic.

Em discurso na capital croata, Zagreb, o líder americano enfatizou a transição da Croácia do que ele chamou de "tirania à democracia madura".

"Há quem pense que vocês estavam melhores naquela antiga tirania. Vocês podem lhes dizer que a liberdade é a única via real para a prosperidade, segurança e a paz", disse o presidente dos EUA.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG