Bush e Putin não chegam a acordo sobre escudo

Os presidentes George W. Bush, dos Estados Unidos, e Vladimir Putin, da Rússia, assinaram um projeto de acordo sobre os planos americanos de instalar um sistema antimísseis no leste europeu, mas disseram não ter chegado a um acordo sobre o tema.

BBC Brasil |

Putin reafirmou ser contrário à instalação do escudo, mas disse que houve "avanços positivos" na conversa com o presidente americano.

A Rússia tem criticado fortemente as intenções americanas de criar um sistema de defesa antimíssil no leste europeu, com a instalação de um interceptor de mísseis baseado na Polônia e de um sistema de radares na República Tcheca.

O governo russo acredita que o escudo é uma "ameaça direta" ao país, que estaria na mira do sistema.

Aparente harmonia
Após a reunião, Bush disse que vai trabalhar para convencer Moscou que o sistema não está direcionado à Rússia, como teme o governo do país.

De acordo com o correspondente da BBC Gabriel Gatehouse, que está no balneário de Sochi, onde os dois presidentes se encontraram, na entrevista coletiva após a reunião Bush e Putin se preocuparam em não destacar suas diferenças e mostraram harmonia.

"Nós concordamos hoje que os Estados Unidos e a Rússia querem criar um sistema para responder potenciais ameaças de mísseis em que a Rússia e os Estados Unidos e a Europa vão participar como parceiros igualitários", afirmou Bush.

"Esta é uma visão estratégica e poderosa."
Segundo o presidente americano, medidas para garantir a transparência e a construção de confiança satisfariam as preocupações russas.

Bush também disse apoiar o pedido da Rússia de integrar a Organização Mundial do Comércio e afirmou ser favorável ao cancelamento da emenda Jackson-Vanik, que liga as relações comerciais a questões de direitos humanos.

'Otimismo cauteloso'
Putin disse ter recebido bem a vontade dos Estados Unidos em ouvir e discutir questões sobre o escudo antimísseis.

"Eu tenho um otimismo cauteloso sobre o acordo", disse.

"É importante que os nossos especialistas concordaram quais medidas para aumentar a confiança vão existir e como elas vão ser implementadas na realidade."
Bush chegou à Rússia no sábado e compareceu a um jantar com Vladimir Putin na casa de férias do presidente russo.

Na manhã deste domingo, eles se encontraram em uma casa para hóspedes no complexo presidencial.

Manutenção de poder
A reunião entre os dois líderes ocorreu um mês antes de Putin deixar a presidência.

De acordo com correspondentes, a reunião também serviu para Bush perceber quanto poder Putin vai continuar exercendo na posição de primeiro-ministro.

Bush disse ter se impressionado e que espera continuar trabalhando com Putin.

O presidente eleito, Dmitry Medvedev, também se encontrou com Bush e disse que espera continuar avançando nas relações com os Estados Unidos.

O encontro deste domingo ocorreu após uma cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em Bucareste, na Romênia, em que os países do bloco apoiaram os planos americanos de instalação do escudo.

A cúpula da Otan ainda atendeu aos pedidos americanos de extensão da Aliança, que a partir de agora também deve ser integrada pela Albânia e a Croácia.

Os membros do bloco, no entanto, rejeitaram a proposta dos EUA de estender o convite à Geórgia e a Ucrânia.

Com a oposição de Alemanha e França, os aliados preferiram ceder às pressões da Rússia e confirmaram, na manhã da quinta-feira, o adiamento do ingresso de Ucrânia e Geórgia a seu plano de ação, uma fase prévia ao processo de adesão.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG