Bush e Medvedev não entram em acordo sobre o escudo antimísseis na Europa

Macarena Vidal Toyako (Japão), 7 jul (EFE).- Os presidentes dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, e Rússia, Vladimir Medvedev, mantiveram hoje em sua reunião seu desacordo sobre o escudo antimísseis que o Governo americano quer desdobrar no leste da Europa.

Ambos se reuniram hoje por uma hora no luxuoso hotel Windsor, em Toyako, na ilha de Hokkaido, no norte do Japão, onde foi inaugurada hoje a cúpula anual do Grupo dos Oito (G8, sete países mais industrializados e a Rússia).

Ao término de sua reunião, ficou claro que não conseguiram superar o desacordo sobre o escudo antimísseis, um dos grandes empecilhos nas relações entre Washington e Moscou.

Segundo declarou Bush à imprensa, ainda existem "algumas áreas de desacordo", o que foi corroborado por Medvedev, ao indicar que em alguns assuntos as diferenças foram mantidas.

"Estamos de acordo em questões como Irã e Coréia do norte, mas há outros assuntos sobre questões européias e o escudo antimísseis nos quais temos diferenças", afirmou.

No entanto, Bush disse: "Também há áreas nas quais sabemos que possamos colaborar em favor do bem comum". Ele louvou o novo presidente russo, a quem descreveu como "um homem inteligente que entende muito bem os assuntos".

Em uma aparente referência a suas declarações após sua primeira reunião com o antecessor de Medvedev, Vladimir Putin, quando assegurou que lhe parecia "cauteloso aos olhos e que tinha capturado uma impressão de sua alma", Bush afirmou nesta ocasião que não ia "analisar psicologicamente" o novo presidente russo.

"Posso dizer que é um homem com muita confiança em si mesmo e que quando diz algo, diz a sério", afirmou.

Medvedev mostrou, por sua parte, sua disposição a intensificar a colaboração com Washington nos seis meses que ainda restam de mandato a Bush.

"Queremos aprofundar a relação com a futura Administração dos EUA, mas também temos ainda seis meses com a atual e tentaremos intensificar nosso diálogo com este Governo", disse.

A reunião de hoje tinha como objetivo, pela parte americana, conhecer o novo dirigente russo, que, com 42 anos, tenta aproveitar sua juventude para forjar uma imagem diferente à de seu antecessor e mentor político.

No entanto, até o momento, Medvedev optou por seguir a política de Putin em assuntos como sua oposição ao escudo antimísseis americano, que os EUA planejam desdobrar na Polônia e na República Tcheca.

A Rússia vê esse escudo como uma ameaça contra seu território, mas Washington assegura que ele é dirigido contra possíveis ataques por parte de países hostis no Oriente Médio.

A secretária de Estado, Condoleezza Rice, deve viajar esta semana à República Tcheca para assinar o acordo pelo qual os EUA instalarão o radar do escudo neste território.

Segundo tinha previamente dito a Casa Branca, os dois presidentes iam abordar também questões como as aspirações russas a integrar na Organização Mundial do Comércio (OMC).

O presidente americano queria aproveitar a reunião para colocar também assuntos como o apoio russo aos independentistas abkhazes na vizinha Geórgia e pressionar seu par para que apóie novas sanções contra o programa nuclear iraniano.

A de hoje foi a primeira reunião entre ambos os presidentes desde a chegada ao poder de Medvedev em maio.

Os dois presidentes se reuniram em abril em Sochi (Rússia), junto com o antecessor de Medvedev, Putin, que como primeiro-ministro mantém ainda uma grande influência em seu país.

Durante sua estadia em Toyako, o presidente russo deve se reunir também com o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown; a chanceler alemã, Angela Merkel; e o presidente francês, Nicolas Sarkozy.

As relações entre Moscou e Londres se mantiveram tensas desde a morte por envenenamento na capital britânica do ex-espião Alexander Litvinenko em 2006. EFE mv/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG