Bush e Brown pedem mais sanções ao Irã e não descartam uso da força

O presidente americano George W. Bush advertiu nesta segunda-feira em Londres que não descarta o uso da força contra o Irã para obrigar o país a suspender seu programa nuclear, mas acrescentou que espera que a crise possa ser solucionada pela via diplomática.

AFP |

"Todas as opções estão abertas no Irã", declarou Bush, em uma entrevista coletiva cojunta com o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, no segundo dia de visita a Grã-Bretanha.

"Agora é o momento de trabalhar juntos para conseguir que Teerã suspenda o programa nuclear", declarou Bush, antes de ressaltar que "é necessário manter a pressão internacional" sobre Irã e Coréia do Norte.

Brown anunciou por sua parte que a União Européia (UE) concorda com a aplicação de novas sanções contra o Irã, incluindo o congelamento dos ativos no exterior do banco mais importante de Teerã.

"A Grã-Bretanha vai pedir à Europa, e a Europa vai concordar com a adoção de novas ações contra o Irã", acrescentou o chefe de Governo britânico.

"Vamos atuar hoje para congelar os ativos no exterior do maior banco do país, o banco Melhi", acrescentou Brown.

Depois da reunião com Bush, o premier britânico também anunciou que enviará tropas adicionais ao Afeganistão.

"Hoje, a Grã-Bretanha anunciará tropas adicionais ao Afeganistão, elevando o número de soldados britânicos neste país a seu maior nível", declarou Brown na entrevista coletiva.


    Leia tudo sobre: brownbusheuairã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG