Bush e Berlusconi conversam sobre o Irã e o Afeganistão

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, se reuniu nesta quinta-feira em Roma com seu amigo, o chefe de governo italiano Silvio Berlusconi, para conversar especialmente sobre o Irã e o Afeganistão, em meio ao desejo de Washington de que a Itália se envolva de maneira mais ativa.

AFP |

Bush iniciou a jornada com uma série de reunião políticas, entre elas um encontro do Palácio de Quirinale com o presidente da República, Giorgio Napolitano.

Antes do encontro com Berlusconi, um dos seus aliados mais leais na Europa, que teve como ponto central o polêmico programa nuclear iraniano e as possíveis novas atribuições aos soldados italianos no Afeganistão, Bush elogiou os "fortes" laços que unem os Estados Unidos à Europa.

A visita do mandatário americano à Itália servirá particularmente para renegociar as regras da mobilização dos cerca de 2.500 italianos no Afeganistão.

A Itália está disposta a ser "mais flexível" com seus soldados, concentrados em maioria em Cabul e na região menos envolvida em conflitos de Herat, fazendo com que eles pudessem ser utilizados em outras áreas quando seja necessário.

"Do Afeganistão ao Irã, a Itália muda sua política exterior e se posiciona ao lado de Washington", escreveu o jornal econômico Il Sole 24 Ore.

Em contrapartida, a Itália espera que os Estados Unidos apóiem seu objetivo de fazer parte do grupo de mediadores formado pelos cinco países membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha, encarregados de negociar com o Irã sobre seu programa nuclear.

Bush consultou na quarta-feira a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que é contrária a entrada da Itália no grupo de mediadores.

A Itália é o maior sócio comercial do Irã na Europa com 5,2 bilhões de euros de intercâmbio em 2006.

O presidente americano será recebido na sexta-feira pelo Papa no Vaticano.

bur-kv/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG