Bush e Abbas passeiam de mãos dadas no Egito

Sharm el-Sheikh (Egito), 17 mai (EFE) - Sabe-se que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, não tem vergonha de demonstrar seu afeto para os que considera seus amigos, mas sua visita hoje ao Egito deixou uma imagem para a lembrança.

EFE |

Após sua reunião, Bush e o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, posaram para as fotos e, após algumas palavras à imprensa, andaram juntos de mãos dadas pelo jardim de buganvílias no qual estavam.

Nos países árabes, andar de mãos dadas com outro homem é um costume muito tradicional, pelo que o fato não chamou muita atenção em Sharm el-Sheikh.

No entanto, ver Bush nessa situação tão inusitada surpreendeu a delegação que o acompanha em sua viagem oficial, já que o chefe de Estado americano não hesita em exaltar sua masculinidade quando a ocasião pede.

Faltando menos de seis meses para deixar a Casa Branca, Bush viajou para Sharm el-Sheikh para reforçar seus vínculos com aqueles que considera seus melhores aliados no Oriente Médio.

Depois das muitas críticas recebidas depois de ignorar totalmente os palestinos em seu discurso perante a Knesset (Parlamento israelense) esta semana, Bush pretendia se aproximar deste povo.

Apesar disso, Bush deve precisar de muitos passeios de mãos dadas para conquistar a estima dos cidadãos árabes.

Como explicou à Agência Efe Mahmoud, um taxista que trabalha em Sharm el-Sheikh, "é muito complicado encontrar um árabe que goste de Bush".

"A maioria das pessoas o odeia, não fez nada para conseguir nossa estima", ressaltou Mahmoud.

Após ouvir esta opinião, soam ainda mais estranhos os elogios a Bush feitos por Abbas e pelo presidente afegão, Hamid Karzai, nesta que deve ser a última viagem do governante americano pelo Oriente Médio como inquilino da Casa Branca.

"Sabemos muito bem que o senhor, pessoalmente, assim como sua Administração, estão comprometidos com a busca da paz neste ano.

Estamos encantados com que o presidente (Bush) esteja acompanhando tudo, até o mínimo detalhe, do que ocorre nas negociações palestinas", disse Abbas.

Karzai também não quis ficar atrás.

"Senhor presidente, muito obrigado mais uma vez, e transmita nossa gratidão ao povo dos Estados Unidos. Por favor, visite-nos muito, muito em breve. O povo afegão quer que vá ali para cumprimentar-lhe e expressar-lhe seu agradecimento por sua liderança e ajuda", elogiou o presidente afegão.

Ainda não se sabe o balanço que Bush fará de sua viagem, mas não seria de estranhar que, após ouvir estas palavras e os elogios dos políticos israelenses, sua auto-estima pessoal tenha aumentado. EFE er/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG