O presidente George W. Bush declarou nesta terça-feira que sentirá falta de comandar o Exército americano, depois que tiver deixado o poder a Barack Obama no dia 20 de janeiro.

"Sempre me perguntam: do que sentirá falta na presidência? Minha primeira reação é dizer: de não ficar parado nos engarrafamentos em Nova York", brincou, referindo-se ao fato de que o caminho está sempre aberto para o comboio presidencial.

"Na verdade, sentirei falta de não ser mais o comandante-em-chefe de um grupo tão maravilhoso de homens e mulheres, os que vestem o uniforme do Exército dos Estados Unidos", prosseguiu, mais seriamente.

Segundo a Constituição americana, o presidente é o comandante-chefe do Exército. Bush conduziu duas guerras durante seus dois mandatos, uma no Iraque e outra no Afeganistão.

Bush, que deixará a Casa Branca no dia 20 de janeiro, se expressava em Nova York por ocasião do dia dos veteranos, instituído pelo presidente Woodrow Wilson para recordar a armistício que pôs um fim à Primeira Guerra Mundial.

A guerra no Iraque contribuiu muito para a queda de popularidade de Bush.

Porém, nas últimas semanas, o presidente tem trabalhado para partir deixando a melhor imagem possível.

Nesta terça-feira, na ponte de um porta-aviões utilizado durante a Segunda Guerra Mundial, a guerra do Vietnã e a Guerra Fria e transformado em museu, Bush defendeu um aspecto de seu legado, sua ação em favor dos veteranos.

Ele destacou que sob sua presidência, as verbas liberadas para os veteranos quase foram multiplicadas por dois.

lal/yw/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.