Bush diz que portas da Otan estão abertas para o leste europeu e os Bálcãs

Macarena Vidal Zagreb, 5 abr (EFE).- As portas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão abertas para todos os países do leste europeu e dos Bálcãs, afirmou hoje o presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, em discurso em Zagreb, na Croácia, para parabenizar os novos membros da entidade.

Na praça de São Marcos, onde estão localizadas as sedes do Parlamento e do Governo da Croácia, o presidente americano afirmou que o convite de entrada representa "um voto de confiança" de que os novos membros, Croácia e Albânia, continuarão suas reformas.

A Otan ofereceu o ingresso de pleno direito aos dois países na cúpula encerrada na última sexta em Bucareste. Um terceiro país candidato, a Macedônia, viu sua entrada adiada até que solucione a disputa sobre seu nome com a Grécia.

Acompanhado dos presidentes e primeiros-ministros dos três países durante seu discurso, Bush afirmou que a Macedônia "deve ocupar seu lugar na Otan logo que for possível".

Os analistas lançaram uma advertência sobre a possibilidade de que a rejeição da Aliança possa desestabilizar a frágil república ex-iugoslava e rompa o delicado equilíbrio nos Bálcãs.

"A Otan está aberta a todos os países da região", declarou Bush, lembrando que a entidade ofereceu um "diálogo intensificado" à Bósnia e Montenegro, duas repúblicas ex-iugoslavas.

O presidente também lançou um pedido à Sérvia para que se aproxime da Otan e encontre "o lugar que lhe corresponde na família da Europa e vivendo em paz com seus vizinhos".

A Sérvia, que culpa a Aliança pela recente independência do Kosovo, é hostil à Otan e em sua resistência conta com o apoio da Rússia, que se mostrou muito crítica à expansão da aliança atlântica em direção ao leste europeu.

Bush deve viajar ainda esta tarde para Sochi (Rússia), onde se reunirá pela última vez com o presidente Vladimir Putin antes do final de seu mandato, para reparar suas diferenças nos últimos meses e delinear um "marco estratégico" que sirva de guia para a relação entre seus respectivos sucessores.

Aplaudido com entusiasmo pelo público que enchia a praça - escolhido a convite do Governo croata -, Bush disse que o convite de entrada representa "um voto de confiança em que continuarão as reformas e se transformarão em membros firmes da Aliança".

"Com as mudanças que estão acontecendo nesta região, a Europa está no limiar de uma história nova e esperançosa", declarou o presidente, sendo interrompido constantemente para permitir a tradução de suas palavras.

O primeiro-ministro croata, Ivo Sanader, afirmou em seu discurso de introdução que a Otan tem responsabilidades não apenas como força de paz em locais como o Kosovo e o Afeganistão, mas também na luta contra a pobreza e na defesa da democracia, e para defender uma ordem internacional que estimule "o diálogo no lugar da separação".

"O mundo ainda não é um lugar totalmente seguro e seus valores ainda estão ameaçados em muitos locais", lembrou Sanader.

Bush concluirá sua estadia na capital croata com um almoço de trabalho no qual participarão os presidentes e primeiros-ministros de Croácia, Albânia e Macedônia, oportunidade na qual repetirá suas felicitações pelos convites de entrada na Otan.

Enquanto na praça de São Marcos - local onde os dirigentes croatas juraram seu cargo nos últimos 700 anos - o público se despedia de Bush com abraços e apertos de mãos, em outras áreas da capital croata o entusiasmo por esta visita era menos evidente.

Entre 150 e 200 ativistas da Ação Antiimperialista (AIA) e de outras organizações protestaram ontem, quando Bush chegou à Croácia, na praça da República da França de Zagreb contra sua política. EFE mv/mac/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG