Paris, 12 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

Bush, disse hoje que a influência do Irã no Iraque diminuiu e continuará caindo, e não descartou uma opção militar para pressionar Teerã a abandonar seu programa de enriquecimento de urânio.

"Obviamente há alguma influência (do Irã) no Iraque, mas é menor do que antes e continuará diminuindo, a meu julgamento, à medida que se desenvolve sua economia e sua sociedade política", disse Bush em entrevista à rede de TV "France 3", às vésperas de sua chegada a Paris.

Segundo Bush, o Iraque está se transformando em uma democracia que funciona, e os iraquianos "compreendem que a influência do Irã é desestabilizadora".

Os EUA e a Europa devem enviar uma mensagem aos líderes iranianos, que "estão isolados e continuarão recebendo pressões, a menos que suspendam de forma verificável seu programa de enriquecimento", acrescentou Bush, reiterando que não descarta uma opção militar contra Teerã diante de um fracasso nas negociações.

"Ainda existe (a opção militar). E deve estar sobre a mesa, absolutamente", respondeu Bush, a uma pergunta do locutor do informativo da "France 3".

Bush ressaltou, no entanto, que os EUA querem tentar solucionar este problema pela via diplomática.

Paris, onde Bush chegará na sexta-feira, é a quarta etapa de uma viagem européia, na qual o presidente americano tenta conseguir que seus aliados europeus endureçam sua postura em relação ao Irã e serve como uma despedida, após oito anos na Casa Branca. EFE ik/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.