Tamanho do texto

O presidente americano, George W. Bush, denunciou nesta quinta-feira os regimes políticos do mundo que amordaçam a mídia, apontando o governo da China como o que mantém o maior número de jornalistas presos, em um comunicado divulgado dois dias antes do Dia Mundial Pela Liberdade de Imprensa.

"Os jornalistas devem poder relatar os fatos sem temer perseguições. Em países como Bielorrúsia, China, Cuba, Eritréia, Irã, Líbia, Coréia do Norte, Mianmar, Síria, Venezuela e Zimbábue, leis repressivas limitam seriamente a liberdade de expressão, e aqueles que tentam burlar isso são freqüentemente encarcerados", afirmou o presidente.

"Em 2007, pelo nono ano consecutivo, a China continua sendo o país que mais prendeu jornalistas, seguida por Cuba, Eritréia, Irã e Azerbaijão", destacou Bush.

"Os Estados Unidos condenam a perseguição, a intimidação física e outros abusos sofridos por jornalistas, blogueiros e jornalistas das mídias online em países como China, Cuba, Egito, Tunísia, Venezuela e Vietnã", assim como "os assassinatos impunes de jornalistas na Bielorrúsia, Líbano e Rússia", escreveu o presidente.

prh/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.