Bush defende programa de colaboração nuclear com a Índia

Toyako (Japão), 9 jul (EFE) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defendeu nesta quarta-feira (hora local) o programa de cooperação nuclear civil entre o país e a Índia, após conversar com o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh.

EFE |

Os dois mantiveram hoje uma reunião bilateral de 45 minutos à margem da cúpula do G8 (sete nações mais ricas e a Rússia) que termina nesta quarta-feira em Toyako (Japão) e onde os países mais ricos se reunirão com as principais economias emergentes: Brasil, Índia, China, México e África do Sul (G5).

Bush e Singh abordaram, entre outras questões, o acordo de cooperação nuclear civil assinado entre as duas nações em 2006 e cuja aprovação encontra obstáculos nos respectivos Parlamentos.

"Falamos sobre quão importante é este acordo para nossos respectivos países", afirmou o presidente americano, em declarações à imprensa após se encontrar com Singh.

Na terça-feira, os partidos comunistas indianos retiraram o apoio a Singh e anunciaram que apresentarão uma moção de censura para protestar contra o acordo nuclear, que, segundo eles, transforma a Índia em um país dependente dos EUA.

O acordo de colaboração nuclear permite que os Estados Unidos forneçam tecnologia atômica à Índia em troca que o país abra às inspeções internacionais suas instalações civis.

Em Washington, os críticos ao acordo temem que vá gerar uma corrida armamentista na Ásia.

Os dois também abordaram a colaboração em matéria de mudança climática, o assunto que foi mais discutido na cúpula do G8, para determinar como é possível ser "guardiães responsáveis do meio ambiente e ao mesmo tempo fazer avançar" as economias, explicou Bush.

O G8 propôs nesta quarta-feira recortar as emissões de gases estufa à metade até 2050 e aceitou a premissa do presidente americano, que considera que é necessário que a qualquer acordo vinculativo nesse sentido se somem as principais economias emergentes, como Índia ou China.

O Grupo abordará precisamente esta questão em sua reunião de hoje com o G5.

Segundo Bush, o primeiro-ministro da Índia e ele também abordaram a necessidade de encontrar "terreno comum" para permitir o êxito da Rodada de Desenvolvimento de Doha de negociações para liberalizar o comércio, sob o patrocínio da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Essas negociações se encontram estagnadas perante as exigências dos países mais pobres de que se eliminem os subsídios agrícolas das nações ricas e as reivindicações dos EUA e da União Européia (UE) de que as economias emergentes abram o setor de serviços, entre outras questões.

Por sua parte, o primeiro-ministro da Índia assegurou que "as relações entre EUA e a Índia nunca estiveram tão boas".

"Estou muito contente com o estado das relações", afirmou Singh, que destacou que os Estados Unidos e Índia devem "trabalhar cotovelo com cotovelo". EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG