O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defendeu o pacote de ajuda proposto para combater a pior crise dos mercados financeiros das últimas décadas.

O custo para os contribuintes é melhor do que a alternativa de desemprego massivo, e problemas com as pensões e aposentadorias, disse Bush em um discurso transmitido pela rádio.

O Tesouro dos Estados Unidos propõe um fundo de até US$ 800 bilhões para comprar a maior parte dos papéis podres no mercado de hipotecas dos EUA.

O fundo guardaria esses papéis até que eles possam ser vendidos no futuro.

Bush afirmou que as medidas exigem que os Estados Unidos "coloquem uma significativa quantia de dinheiro dos contribuintes na reta".

"Mas estou convencido de que esta medida corajosa vai custar às famílias americanas muito menos do que a alternativa", disse ele.

"Novas pressões sobre o nosso mercado financeiro causariam perdas massivas de emprego, devastariam as contas de aposentadoria, prejudicariam ainda mais os valores das casas e secariam os empréstimos para a compra de novas casas, carros e para pagar cursos universitários."
Congresso preocupado
Representantes do Congresso e do Tesouro iam se reunir neste fim de semana para discutir o plano, e a expectativa é de que o pacote possa ser transformado em lei já nos próximos dias.

Acredita-se que a intenção seja criar um modo de reunir todos os papéis podres sob uma única agência, que os administraria em nome do contribuinte, mas alguns membros do Congresso ainda estão preocupados com o uso de centenas de bilhões de dólares de dinheiro público na compra dessas dívidas.

O líder do Partido Democrata na Câmara dos Representantes, Steney Hoyer, disse no entanto que espera uma ação rápida.

Depois de uma semana de turbulências, as bolsas de valores de todo o mundo registraram forte alta na sexta-feira, em resposta ao anúncio do plano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.