Bush dá indulto a dois guardas de fronteira presos por matar mexicano

Em suas últimas horas como presidente dos Estados Unidos, George W. Bush concedeu seu indulto nesta segunda-feira a dois ex-policiais de fronteira, condenados a mais de dez anos de prisão pela morte de um traficante de drogas mexicano.

AFP |

O incidente e o processo judicial que o apurou geraram enorme polêmica no país em torno dos imigrantes ilegais. Na época, muitos correligionários do presidente republicano se colocaram contra a condenação dos agentes José Alonso Compean e Ignacio Ramos.

Os dois foram condenados em novembro de 2008 a 12 e 11 anos e um dia de prisão, respectivamente, por abrir fogo no dia 17 de fevereiro de 2005 contra um mexicano desarmado, que fugiu quando descoberto pelos policiais na fronteira mexicana com o Texas, no sul.

A vítima foi atingida por um tiro, mas conseguiu atravessar a fronteira de volta para seu país. Ao dispararem, os guardas sabiam que Osvaldo Aldrete Dávila, além de não possuir o visto de entrada, transportava mais de 300 kg de maconha no veículo que dirigia quando foi interceptado.

Com o indulto de Bush, as sentenças expiram no dia 20 de março.

Compean e Ramos, no entanto, chegaram a cumprir três anos de liberdade vigiada, além de ter pago 2.000 dólares de multa.

ok/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG