Bush culpa democratas por altos preços dos combustíveis

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, culpou hoje a maioria democrata no Congresso pelos altos preços dos combustíveis e pediu aos legisladores que não vão ao recesso do meio do ano sem votar sobre uma lei que amplie a prospecção petrolífera.

EFE |

"Temos que aumentar a provisão de petróleo e especialmente as jazidas no país", afirmou Bush no jardim da Casa Branca onde se apresentou acompanhado pelo vice-presidente americano, Dick Cheney, e grande parte dos membros do gabinete ministerial.

"Os democratas impediram que houvesse uma votação no Congresso sobre a lei que ampliará a prospecção na busca de petróleo", sustentou o presidente, que acrescentou que é urgente "a necessidade de que haja uma ação legislativa".

No mês passado, o presidente americano anulou um decreto do poder Executivo emitido por seu pai, o ex-chefe de Estado George Bush, que proibia a prospecção na busca de jazidas petrolíferos no mar dos Estados Unidos. No entanto, segue em vigor uma proibição similar imposta pelo Congresso.

O presidente americano reiterou hoje que o Congresso "deveria pôr fim a sua proibição de prospecção" em águas da costa oceânica dos EUA.

Os Estados Unidos importam atualmente quase 70% do petróleo que consomem, e os preços da gasolina subiram de maneira acelerada no último ano.

Os democratas enfatizam a necessidade de que os EUA apressem seu uso de fontes de energia alternativas, e que reduzam sua dependência do petróleo importado sem abrir a exploração de jazidas em áreas que são reservas da natureza, ou que poderiam ficar danificadas pela poluição.

Como medida transitória, alguns democratas disseram que o atual Governo Bush deveria pôr à venda parte do petróleo cru que tem na reserva petrolífera estratégica, que conta com 1,6 bilhão de barris.

O presidente americano disse também nesta quarta-feira que "não faz sentido que se fale em colocar a mão na limitada reserva petrolífera" quando os preços estão em alta.

O chefe de Estado americano afirmou que "os legisladores não deveriam deixar Washington (de férias)" sem aprovar uma lei que permita a perfuração petrolífera próxima às costas dos Estados Unidos.

Devido ao aumento rápido dos preços da gasolina, o assunto energético passou a ser destaque na campanha para a eleição presidencial de novembro próximo.

O candidato presidencial republicano, John McCain, diz que apóia a abertura de áreas litorâneas para a prospecção petrolífera, enquanto seu rival democrata Barack Obama se opõe a esse programa.

Os democratas assinalam que qualquer aumento na prospecção e exploração petrolífera dentro do território ou no mar americano não terá um impacto real sobre a provisão de petróleo dos Estados Unidos em vários anos.

Leia mais sobre crise do petróleo

    Leia tudo sobre: crise do petroleo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG