Washington, 19 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

Bush, afirmou hoje que o Congresso cometeu um "grave erro" ao bloquear o voto do pacto comercial com a Colômbia, e utilizará a cúpula da América do Norte na próxima semana para insistir na ratificação do acordo.

Bush, acusado pelos democratas de dar as costas à América Latina, destinou hoje seu discurso radiofônico dos sábados inteiramente ao tratado de livre-comércio com a Colômbia, que enfrenta uma forte oposição nas duas câmaras do Legislativo.

"Os líderes do Congresso cometeram um grave erro, mas não é tarde demais tarde para corrigi-lo", disse Bush, repetindo a mensagem que deu ao empresariado na sexta-feira e em várias ocasiões nas últimas semanas.

O líder se referiu à decisão da oposição democrata, liderada pela presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, de adiar indefinidamente a votação do tratado.

"Acho que, se a presidente (Pelosi) permitir um voto sobre os méritos (do tratado), uma maioria na Câmara de Representantes aprovará o acordo comercial", disse Bush.

"Peço aos líderes do Congresso que reconsiderem sua posição, reconheçam que está em jogo e aprovem o acordo com a Colômbia o mais rápido possível", pediu o presidente Bush.

Além disso, o líder enumerou os argumentos estratégicos, econômicos e de segurança nacional do acordo com a Colômbia, assinado pelos dois países em novembro de 2006.

Afirmou que, entre outros elementos, o tratado ajudará a nivelar o terreno para as 9 mil empresas americanas que exportam para a Colômbia, mas que atualmente enfrentam tarifas "significativas para seus produtos", disse.

Para Bush, o adiamento do voto é uma ação "infeliz e sem precedentes", e expressou esperança de que Pelosi "mude de idéia", porque, caso contrário, advertiu, o acordo ficará sepultado. EFE mp/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.