Nargis - Mundo - iG" /

Bush condena resposta de Governo de Mianmar ao ciclone Nargis

Washington, 12 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W.

EFE |

Bush, afirmou hoje que o mundo deveria condenar a resposta da Junta Militar birmanesa à passagem do ciclone "Nargis", que pode ter deixado mais de 100 mil mortos.

Em entrevista à cadeia de rádio "CBS News", Bush afirmou que a Junta "tem uma catástrofe de grandes dimensões em suas mãos, e não permite que a compaixão do mundo chegue totalmente aos afetados".

"O mundo deveria estar irado, e condenar o Governo de Mianmar", acrescentou o presidente.

A Casa Branca informou hoje que o Governo dos EUA planeja enviar dois novos aviões com ajuda para Mianmar, além de oferecer US$ 13 milhões adicionais em assistência às organizações da ONU.

Com o novo aporte de recursos, o montante da assistência dos EUA às vítimas do ciclone "Nargis" chega a US$ 16,25 milhões.

O Departamento de Estado expressou hoje sua "imensa preocupação" com a possibilidade de a ajuda americana, que chegou hoje a Mianmar a bordo de um Hércules C-130 da Força Aérea, ser distribuída de maneira inadequada às vítimas do ciclone.

O Departamento do Tesouro anunciou hoje a suspensão dos limites existentes até agora na quantia de dinheiro que amigos e familiares podem enviar a residentes em Mianmar.

Até agora, os envios não podiam superar os US$ 300 por família em um período de três meses.

O Governo americano calcula que até 100 mil pessoas poderiam ter sido vítimas mortais da passagem do "Nargis" pelo delta do rio Irrawaddy.

Segundo a Agência da ONU para a Ajuda Humanitária (Ocha), ainda não se conhece a verdadeira magnitude da tragédia, porque há zonas inacessíveis.

O Unicef e outras agências advertiram para o risco de epidemias por falta de água potável e pela existência de diversos cadáveres que não foram enterrados. EFE mv/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG