Bush apóia Ucrânia e Geórgia, e pede mais tropas da Otan no Afeganistão

Bucareste, 2 abr (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, defendeu nesta quarta-feira a necessidade de ampliar a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em direção ao leste, em particular com uma futura admissão de Ucrânia e Geórgia, e pediu o aumento do número de tropas no Afeganistão para lutar contra o terrorismo.

EFE |

    Em discurso em Bucareste, Bush afirmou que a porta da Otan deve "permanecer aberta aos que a procuram", e se pronunciou também a favor de iniciar um diálogo intensificado com Montenegro e Bósnia-Herzegóvina.

    A Otan oferecerá hoje a entrada a Croácia, Albânia e Macedônia, lembrou o presidente.

    Bush também pediu aos 26 membros da Otan uma maior contribuição no Afeganistão, e argumentou que evitar o crescimento de grupos terroristas como a Al Qaeda deve ser a "prioridade" da Aliança.

    "Se não pudermos derrotar os terroristas no Afeganistão, teremos de enfrentá-los em nosso próprio solo", afirmou.

    O governante também defendeu os planos dos EUA de instalar um escudo antimísseis no leste da Europa, ao afirmar que atualmente não existe um dispositivo para defender o continente de um possível ataque vindo do Oriente Médio.

    Neste sentido, afirmou que o Irã tenta fabricar mísseis balísticos de longo alcance que poderiam ameaçar a Europa.

    "Devemos colaborar para nos assegurar de que este ataque nunca aconteça", afirmou.

    O presidente tentou acalmar os temores da Rússia, que considera esse escudo uma "ameaça", e assegurou que os tempos da Guerra Fria acabaram e que o dispositivo não se dirige contra Moscou, que é um aliado.

    Bush deve reunir-se neste fim de semana em Sochi (Rússia) com o presidente russo, Vladimir Putin, para tratar sobre esse dispositivo.

    Leia mais sobre: Bush - Otan

      Leia tudo sobre: otan

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG