Bush apóia adesão de Ucrânia e Geórgia à Otan

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, manifestou apoio nesta terça-feira às candidaturas de adesão da Ucrânia e da Geórgia à Otan, ao mesmo tempo que o presidente ucraniano Viktor Yushchenko disse acreditar em obter uma sinal positivo neste sentido na reunião de cúpula da Aliança Atlântica em Bucareste.

AFP |

"Apoiamos o MAP (Plano de Ação para a Adesão) para Ucrânia e Geórgia", disse Bush em uma entrevista coletiva ao lado do colega ucraniano.

Bush negou ainda o direito de veto à Rússia, que não aceita a entrada na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) dos dois países, que integravam a antiga União Soviética.

O presidente americano afirmou ter dito ao presidente Vladimir Putin que a Rússia não deve temer o ingresso da Ucrânia na Otan.

Porém, o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Grigori Karasin, advertiu que a entrada da Ucrânia na Otan provocaria uma "crise profunda" entre Moscou e Kiev.

"A entrada da Ucrânia na OTAN causará uma crise profunda nas relações russo-ucranianas, o que terá um impacto negativo na segurança européia", declarou Karasin aos deputados russos, de acordo com a agência Interfax.

"O ingresso de Kiev na Otan, caso aconteça, necessitaria de uma mudança de prioridades na realização de nossa segurança estratégica", completou, sem explicar se estava se referindo a uma resposta diplomática ou militar.

O presidente da Duma (Câmara Baixa do Parlamento russo), Boris Grizlov, também se declarou contrário à idéia da Ucrânia entrar para a Aliança Atlântica.

"A aproximação da Otan de nossas fronteiras é uma situação inaceitável e faremos todo o possível para que não aconteça", ameaçou Grizlov, sem revelar qual seria a resposta de Moscou.

Yushchenko parece não levar em consideração as ameaças de Moscou. "Estou convencido de que obteremos um sinal positivo em Bucareste", declarou.

Ucrânia e Geórgia estão atualmente comprometidas em um "diálogo intensificado" com a Otan, para chegar à adesão.

Agora os dois países querem ser admitidos no MAP, para que se convertam em candidatos oficiais à adesão.

Os 26 países da Otan, reunidos na reunião de cúpula de Bucareste a partir de quarta-feira, devem decidir uma eventual abertura à Ucrânia e Geórgia.

Bush apóia as aspirações dos dois países, mas a Aliança está dividida a respeito.

Alguns membros, como a Alemanha, consideram que Ucrânia e Geórgia ainda não estão preparadas e se preocupam com a hostilidade da Rússia, assim como com o risco de conflitos separatistas na Geórgia.

Ainda na entrevista, Bush afirmou que não conseguiu convencer Moscou até o momento de que o projeto americano de instalar um sistema de defesa antimísseis na Europa não está dirigido contra a Rússia.

"Obviamente nos resta trabalho por fazer para convencer (o presidente russo Vladimir Putin) de que o sistema de defesa antimísseis não está destinado à Rússia", afirmou o presidente americano.

bur-kat/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG