Bush anuncia sanções contra o regime de Mugabe

Washington, 28 jun (EFE) - O Governo dos Estados Unidos imporá sanções contra o regime do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, depois da farsa do segundo turno realizado nesta sexta-feira, anunciou hoje o chefe de Estado americano, George W. Bush.

EFE |

Em comunicado, o presidente americano afirmou que o segundo turno das eleições presidenciais no Zimbábue, realizado nesta sexta-feira, foi uma "farsa que ignorou a vontade do povo do Zimbábue".

Isso porque a oposição se retirou da campanha devido à repressão contra os partidários do Movimento para a Mudança Democrática (MDC, em inglês).

A comunidade internacional, lembrou Bush, condenou de modo unânime "a impiedosa campanha do regime de Mugabe de violência e intimidação motivadas politicamente", para deixar claro que as eleições de sexta-feira "de modo algum foram livres ou imparciais".

Perante o "flagrante desprezo" de Mugabe à vontade popular, indicou o comunicado, Bush deu instruções à secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e ao secretário do Tesouro do país, Henry Paulson, para que estabeleçam sanções contra o regime "ilegítimo" do Zimbábue e às nações que o apóiam.

O Governo dos EUA fará pressões perante as Nações Unidas para a imposição também de sanções internacionais, que incluam um embargo de armamento e a proibição de viajar ao exterior de representantes do regime no Zimbábue, acrescentou Bush.

"Um Governo legítimo do Zimbábue deve representar os interesses de todos os seus cidadãos e o resultado das eleições de 29 de março", afirmou o presidente americano.

Nesse dia ocorreram as eleições legislativas e o primeiro turno do pleito presidencial no país, nos quais o MDC, de Morgan Tsvangirai, venceu.

Segundo Bush, os EUA estão dispostos a apoiar "um Governo legítimo" mediante um conjunto "sólido" de ajuda ao desenvolvimento, perdão de dívida e normalização das relações com as instituições financeiras internacionais.

Enquanto isso, e apesar das sanções ao regime, "seguiremos prestando apoio ao povo do Zimbábue mediante a contribuição de ajuda alimentícia a mais de um milhão de pessoas e assistência para a luta contra a aids a mais de 40 mil cidadãos", afirmou Bush.

Tsvangirai venceu o primeiro turno das eleições presidenciais, mas, segundo a Comissão Eleitoral do Zimbábue (ZEC), organismo nomeado pelo Governo de Mugabe, não obteve número de votos para uma maioria direta e era necessário a realização de uma segunda rodada.

EFE mv/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG