Bush amplia sanções americanas contra o Zimbábue

Washington, 25 jul (EFE).- O presidente americano, George W.

EFE |

Bush, ordenou hoje uma ampliação das sanções econômicas dos Estados Unidos contra o Governo do Zimbábue, que qualificou de "ilegítimo", informou a Casa Branca.

O partido do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, decidiu que não aceitará um plano de participação no poder com o opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC), depois das eleições que foram repudiadas internacionalmente.

Segundo Bush, as novas medidas ampliam a capacidade de sua administração para sancionar "indivíduos e entidades conectadas com o regime de Mugabe".

O comunicado da Casa Branca afirma que o Departamento do Tesouro identificará hoje mesmo várias dessas entidades controladas pelo Governo do Zimbábue e que ficarão submetidas às sanções americanas.

"Esta ação é um resultado direto da contínua violência do regime de Mugabe que não leva em conta as exortações da Comunidade de Desenvolvimento do Sul da África (SADC, em inglês), da União Africana (UA) e das Nações Unidas (ONU) para que cesse seus ataques aos opositores", declarou Bush.

O comunicado presidencial diz que o regime de Mugabe "também manteve sua proibição às atividades de organizações não-governamentais que poderiam dar ajuda à população vulnerável do Zimbábue".

"Nenhum regime deveria ignorar a vontade de seu próprio povo e as exortações da comunidade internacional, sem conseqüências", acrescentou.

Bush disse que se as conversas em andamento entre o regime de Mugabe e o MDC proporcionarem "um Governo que reflita a vontade do povo do Zimbábue, os EUA estão prontos para proporcionar um substancial pacote de ajuda, apoio para o desenvolvimento e para a normalização com as instituições financeiras internacionais".

O presidente americano autorizou o uso dos fundos de ajuda para refugiados "para assistir às pessoas do Zimbábue que buscam refúgio e asilo e que tenham sido deslocadas pela violência que ocorre em seu país". EFE jab/ab/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG