perigosa escalada em ataques à Geórgia - Mundo - iG" /

Bush alerta para perigosa escalada em ataques à Geórgia

PEQUIM (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse no sábado que os ataques russos à vizinha Geórgia, fora da zona de guerra da Ossétia do Sul, marca uma perigosa escalada da crise e fez um apelo para que Moscou suspenda o bombardeio imediatamente. Estou profundamente preocupado com a situação na Geórgia, disse Bush durante viagem a Pequim. Os ataques estão ocorrendo em regiões da Geórgia distantes da zona de conflito em Ossétia do Sul. Eles marcam uma perigosa escalada da crise.

Reuters |

Bush disse que os ataques estavam ameaçando a paz na região e que a Geórgia, ex-Estado soviético que agora quer tornar-se membro da Otan, é uma nação soberana e que sua integridade geográfica precisa ser respeitada.

A Rússia ampliou os ataques à Geórgia no sábado depois que tropas invadiram a Ossétia do Sul na sexta-feira, em um movimento para se contrapor à ofensiva da Geórgia e que tem como objetivo restaurar o controle sobre a província que ela perdeu depois de uma guerra no início dos anos 1990.

'Nós fazemos um apelo pelo fim dos bombardeios russos', disse Bush, com semblante austero, a repórteres antes de assistir o jogo de basquete feminino entre os Estados Unidos e a República Checa nas Olimpíadas.

Ele também fez um apelo para que os dois lados suspendam a violência e retornem ao status quo de 6 de agosto, antes de os embates começarem, e clamou os presidentes russo Dmitry Medvedev e georgiano Mikheil Saakashvili a reiterarem sua posição.

'Os Estados Unidos estão trabalhando com nossos parceiros europeus para lançar uma mediação internacional e com as partes para restaurar o diálogo', disse Bush.

'A Rússia precisa apoiar esses esforços para que a paz possa ser restaurada o mais rápido possível.'

Autoridades russas disseram que os mortos já somam 1.500 e que 30.000 refugiados da Ossétia do Sul fugiram para a Rússia nas últimas 36 horas. A Rússia disse que dois de seus aviões de guerra foram abatidos e 12 de seus soldados, mortos.

(Reportagem de Jeremy Pelofsky e Matt Spetalnick)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG