cerco e intimidação contra a Geórgia - Mundo - iG" /

Bush acusa Rússia de cerco e intimidação contra a Geórgia

WASHINGTON - O presidente americano, George W. Bush, acusou nesta sexta-feira a Rússia de cerco e intimidação contra a Geórgia, ao afirmar que o povo da ex-república soviética tinha escolhido a liberdade e insistir em que os EUA não deixarão o país de lado.

Redação com agências internacionais |

Bush fez essas declarações na Casa Branca pouco antes de sair para seu rancho no Texas, onde passará alguns dias de descanso, mas antecipou que ficará em permanente contato tanto com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, que viajou à Geórgia, quanto com o secretário de Defesa, Robert Gates.

Diplomacia em curso

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, chegou nesta sexta-feira a Tbilisi para realizar consultas com o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili.

Um pouco antes de aterrisar na capital georgiana, Rice afirmou que o acordo de cessar-fogo no conflito entre a Rússia e a Geórgia precisa esclarecimentos para "proteger os interesses georgianos". "Deve um ser um acordo de cessar-fogo formal", explicou aos jornalistas que viajavam com ela para a capital da Geórgia.


Rice encontra o presidente georgiano Mikhail Saakashvili / Reuters

Rice se reuniu ontem com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e com o ministro de Exteriores do país, Bernard Kouchner, para saber da mediação do chefe de Estado no conflito entre a Rússia e a Geórgia e reiterar seu apoio.

Paris e Washington têm apelado a Moscou e Tbilisi para que assinem, "sem demora", um acordo formal de cessar-fogo. Geórgia e Rússia concordam com o plano, mas Saakachvili se recusa a assinar o acordo, exigindo detalhes.

Desembarque

A chegada da chefe da diplomacia americana à capital georgiana foi mostrada ao vivo pela televisão do país. Rice foi recebida ao descer do avião pela ministra de Assuntos Exteriores da Geórgia, Eka Tkeshelashvili.

A primeira atividade de Rice na capital georgiana será se reunir com os funcionários americanos responsáveis pela distribuição da ajuda humanitária que os Estados Unidos começaram a enviar à Geórgia na quarta-feira passada.

Depois da visita ao presidente, a secretária de Estado visitará feridos em um hospital de Tbilisi, e deixará hoje mesmo a capital georgiana para retornar aos EUA.

Leia também:

Opinião:

Leia mais sobre: Geórgia Rússia

(*Com informações da AFP e EFE)

    Leia tudo sobre: georgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG