Investigadores franceses confirmaram neste domingo ter captado o sinal acústico das caixas pretas do avião da Yemenia que caiu próximo à ilha de Comores, no último dia 30 de junho. Em comunicado, o órgão francês de investigação BEA (na sigla em francês) confirma que os sinais das duas balizas acústicas foram captados nesta manhã (domingo) no âmbito das buscas submarinas realizadas para localizar os registradores de bordo do voo IY 626.

O sinal acústico emitido pelas balizas é essencial para que se encontrem as caixas-pretas, ou os registros de voo de uma aeronave.

Com esses dados, os analistas esperam reconstruir o quebra-cabeças de eventos que derrubou o avião, que levava passageiros vindos de Paris e Marselha em outro vôo operado pela Yemenia e fez uma conexão em Sanaa, no Iêmen.

O Airbus, com 153 pessoas a bordo, caiu depois de enfrentar mau tempo.

Apesar de ainda não ter sido estabelecida a causa do acidente, tanto a União Européia quanto a França sublinharam suas preocupações com as medidas de segurança adotadas pela companhia aérea iemenita.

Segundo as autoridades francesas, uma inspeção realizada em 2007 no avião havia encontrado "alguns defeitos" na aeronave. Depois disso o jato não voltou ao espaço aéreo europeu, afirmou o Ministério dos Transportes da França.

A Yemenia criticou as "informações falsas e a especulação em relação a problemas técnicos" do avião.

A adolescente Baya Bakari foi a única sobrevivente do acidente. Ela foi encontrada agarrada a um pedaço do avião, depois de boiar no mar por duas horas. Mas acredita-se que a mãe dela, que estava no voo, é uma das outras mais de 150 vítimas da tragédia.

Depois de se recuperar em um hospital em Comores, Baya foi levada de volta para a França, onde se reencontrou com seu pai.

Na quarta-feira, autoridades francesas anunciaram ter detectado o sinal das caixas pretas do voo da Yemenia, mas depois voltaram atrás na informação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.