Busca final de restos do voo da Air France será em área 10 vezes menor

Paris, 17 fev (EFE).- A terceira e última fase das buscas pelas caixas-pretas do avião da Air France que caiu em junho passado quando fazia o trajeto Rio-Paris com 228 pessoas a bordo ficará restrita a 12% da área inicial.

EFE |

Segundo informou hoje o Escritório de Investigação e Análise (BEA), a nova etapa de busca começará em meados março e os especialistas terão acesso a um navio americano e outro norueguês, assim como a três veículos submarinos equipados com sonar e robôs.

"Com os três sonares buscaremos o palheiro e com os dois robôs, a agulha", explicaram à imprensa os responsáveis pela investigação.

Segundo eles, ainda há boas chances de ler as caixas-pretas, apesar de passados nove meses do acidente.

Inicialmente de quatro semanas, mas prorrogável, a busca será realizada em uma zona de cerca de 2 mil quilômetros quadrados, em vez da área de 17 mil quilômetros quadrados do rastreamento inicial.

O fundo do oceano nessa parte, de relevo bastante acidentado, se encontra a cerca de 4 mil quilômetros da superfície.

Para essa terceira fase, foi determinado o hipotético ponto de impacto através da simulação da expansão dos restos recuperados do avião.

O custo da última etapa de busca, que conta com a participação de especialistas brasileiros, americanos, russos e franceses, chega a 10 milhões de euros (US$ 25,3 milhões). As despesas serão divididas pela Airbus e a Air France. EFE jaf/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG